Boca dá prêmio milionário por título

Depois de diversas reuniões, ameaças por parte do jogadores e muita confusão, o elenco do Boca Juniors chegou a um acordo com a diretoria sobre a premiação para o jogo de Tóquio, onde será decidido o título mundial interclubes, no dia 27, entre o clube argentino e o Bayern Munique, da Alemanha. Os atletas dividirão nada menos do que US$ 1,267 milhão caso levantem a taça, valor equivalente a 65% do que o clube receberá por disputar a decisão. Se perderem, os jogadores ficarão com US$ 487.500,00. Os dirigentes estavam preocupados em resolver o problema o mais rápido possível, pois temiam que os jogadores não se empenhassem como deveriam na preparação para o jogo diante dos alemães. O tradicional clube argentino passa por problemas financeiros, como a grande maioria no país, e vem, há tempos, atrasando os salários. O técnico Carlos Bianchi, bastante cotado para assumir a seleção paraguaia, intercedeu em favor dos atletas, temendo que a falta de entendimento pudesse prejudicar o desempenho do elenco. ?Espero que a situação seja solucionada antes de viajarmos, não podemos pôr pedras no nosso caminho e deixar que os jogadores fiquem insatisfeitos?, afirmou o treinador, pouco antes de saber do acordo, fechado na noite de sexta-feira. Bianchi ainda não definiu o esquema tático que usará e o time que escalará para a partida do dia 27. Se vencer, o Boca conquistará o segundo título mundial consecutivo. No ano passado, a equipe derrotou o Real Madrid por 2 a 1. O treinador pode ser campeão pela terceira vez. Em 94, venceu com o Vélez Sarsfield. Neste domingo, o time do astro Diego Maradona fará o último jogo pelo Torneio Apertura antes de viajar para o Japão. Enfrentará o Nueva Chicago, precisando da vitória para se aproximar do líder Racing, que está 8 pontos à sua frente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.