Divulgação
Divulgação

'Boca é maior que o Corinthians', diz uruguaio Lodeiro

Escolhido para ser o meia de Tite, jogador preferiu se transferir para o futebol argentino para substituir Riquelme, que se aposentou

Gonçalo Junior, O Estado de S.Paulo

24 de fevereiro de 2015 | 14h42

Depois de trocar o Corinthians pelo Boca Juniors neste início de temporada, o meia uruguaio Nicolás Lodeiro não teve dúvidas ao afirmar qual dos dois times considera mais importante na América do Sul, justificando sua saída embora fosse o titular do técnico Tite. De acordo com o próprio jogador, o Boca é maior que o Corinthians. 

"O Boca é um dos maiores clubes do mundo. E não digo isso para ficar bem. Jogar na Bombonera é especial, qualquer jogador pode dizer isso. Parece uma frase feita, mas Boca é Boca. É muito importante. Eu estava no Corinthians, mas o Boca é maior. Não tenho dúvida", afirmou o jogador em entrevista ao jornal "Clarín", da Argentina.

As conversas com os dirigentes argentinos começaram no mês dezembro, época em que se sentiu motivado a defender a equipe azul e amarela e teve contato com o treinador Rodolfo Arruabarrena. "Desde que falei com ele, no fim de dezembro, tive vontade de vir. Não podia deixar de pensar nisso. Estava muito empolgado, imaginava isto que vivo hoje. Conversamos até que o Corinthians, que não queria me liberar, ficou em dúvida. Aí, percebi que caberia a mim. Então, fui falar com o técnico (Tite) e lhe disse que já tinha decidido", afirmou. 


Um das razões do entusiasmo do uruguaio, segundo ele próprio, é substituir o meia Juan Roman Riquelme, eterno dono da camisa 10 que anunciou sua aposentadoria. "Eu sempre olhei para Román, durante toda a minha carreira. Para mim, é um orgulho. Não sou parecido com ele, mas é lindo vestir a camisa 10. O que gosto é de ser protagonista nos ataques do meu time", afirmou o uruguaio, que afirmou estar pronto para atuar na ligação entre o meio e o ataque. "Gosto de dar o último passe. Se me colocam como “enganche”, posso fazer, mas não me defino assim", disse, amenizando as comparações.

Tudo o que sabemos sobre:
Futebol:

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.