Boca faz treino secreto, e La Bombonera ganha últimos retoques

Funcionários retocavam pintura de parte das arquibancadas e cuidavam do gramado sob olhares curiosos

RAPHAEL RAMOS - Enviado especial, Agência Estado

26 de junho de 2012 | 15h27

BUENOS AIRES - Enquanto o técnico Julio Cesar Falcioni fazia, às portas fechadas, na manhã desta terça-feira, o acerto final na equipe para o primeiro jogo da decisão da Libertadores contra o Corinthians, funcionários do Boca Juniors cuidavam dos últimos preparativos para deixar a La Bombonera pronta para receber os brasileiros.

Sem a presença da imprensa (como é costume no clube em véspera de jogo), o Boca Juniors realizou a partir das 10h30 o seu último treino antes de encarar o time alvinegro. Os jogadores, que estão concentrados desde segunda-feira, chegaram de ônibus e não tiveram contato com os torcedores que o esperavam na porta do centro de treinamento.

No mesmo horário, na La Bombonera, que fica ao lado do CT, um grupo de funcionários retocava a pintura de parte das arquibancadas enquanto outro cuidava do gramado sob os olhares curiosos de torcedores que buscavam atrás das grades de proteção às áreas de acesso às arquibancadas o melhor ângulo para ver o mítico estádio. Empresas patrocinadores da Libertadores descarregavam faixas, banners e outros materiais de divulgação de suas marcas.

Já no clima da final da Libertadores, as lojas nos arredores da La Bombonera tentavam faturar alto com a decisão. Artigos com o símbolo do Corinthians, como cachecóis, ficavam expostos na calçada. Uma loja, inclusive, vendia um chaveiro no formato do troféu da Libertadores com o escudo corintiano estampado a 25 pesos (cerca de R$ 12).

A circulação de cambistas também era grande. Um deles oferecia entradas para o setor destinado à torcida do Corinthians por 300 pesos (aproximadamente R$ 150) a um grupo de corintianos que está passando férias em Buenos Aires e foi visitar o museu do Boca. "O ingresso estava com jeito de ser falso. Achamos melhor não comprar", disse um rapaz que se identificou apenas como Roberto.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.