Boca Juniors fala em golear o Paysandu

Não está fácil para o técnico Carlos Bianchi convencer os jogadores do Boca Juniors a encarar a partida desta quinta-feira com cautela. Animados por enfrentarem um adversário desconhecido e sem tradição, eles só falam em golear o Paysandu na Bombonera, em Buenos Aires, pela Libertadores."Temos condição de fazer muitos gols em qualquer e vamos entrar amanhã para fazer vários. Para jogar com tranqüilidade no Brasil devemos ganhar por uns 7 a 0", afirmou o volante Cagna. "Vamos jogar para garantir uma diferença folgada para a partida de volta", afirmou o goleiro Abbondanzieri.A torcida também está entusiasmada. Não tem o menor receio do Paysandu, comemora a liderança do Campeonato Argentino - 25 pontos em 20 rodadas, ao lado do River Plate - e acredita muito na estrela e na competência do técnico Carlos Bianchi, que levou o clube ao bicampeonato da Libertadores em 2000 e 2001 e voltou no início do ano após ficar um ano descansando.A serenidade de Bianchi destoa da empolgação dos jogadores e torcedores. Apesar de o jogo ser em casa e de haver a certeza de que a Bombonera estará lotada, ele diz que não pensa em goleada."Já mostramos que podemos conseguir bons resultados jogando fora de casa, por isso não é preciso ter a idéia fixa de golear. Poderemos buscar a classificação em Belém qualquer que seja o resultado aqui. Um time brasileiro sempre merece respeito", disse Bianchi.Em seu segundo ciclo à frente do Boca, Bianchi teve de remontar a equipe por causa da saída de vários jogadores que eram titulares em sua primeira passagem pelo clube - Riquelme, Palermo, Bermudez, Arruabarena, Serna, o goleiro Córdoba... -, mas manteve o estilo que o levou a ganhar seis títulos em três anos. O time é compacto, marca forte e aproveita bem as chances que cria.Daquela equipe vitoriosa, sobraram o zagueiro Burdisso e os atacantes Guillermo Barros Schelotto e Marcelo Delgado. O lateral-direito Ibarra e o volante Cagna, que haviam saído, voltaram este ano.Apontado como o sucessor de Riquelme, o meia Carlos Tevez, de 19 anos, está na reserva. Ele perdeu espaço por causa de seus compromissos com a seleção Sub-20 e foi prejudicado pelo adiamento do Mundial da categoria - que deveria ter sido disputado entre 25 de março e 16 de abril mas ficou para o fim de novembro.Tevez não fez a pré-temporada com o elenco porque no início do ano disputou o Sul-Americano Sub-20 - vencido pela Argentina - no Uruguai. Como ficaria praticamente dois meses a serviço da seleção para a preparação e disputa do Mundial, Bianchi optou por não inscrevê-lo para a primeira fase da Libertadores. Só que o Mundial não foi realizado e Tevez não pôde ser aproveitado.Na primeira fase, o Boca teve três vitórias, dois empates e uma derrota. Em casa, derrotou o Independiente de Medellín por 2 a 0, bateu o Barcelona de Guayaquil por 2 a 1 e empatou com o Colo Colo por 2 a 2. Fora, bateu o Colo Colo por 2 a 1, perdeu para o Independiente por 1 a 0 e empatou com o Barcelona por 2 a 2. Seu artilheiro é Marcelo Delgado, com quatro gols.O destaque da equipe tem sido o meia Matías Donnet, que é habilidoso e chega com facilidade à área para finalizar. Foi assim que fez um gol na vitória de domingo sobre o Newell?s Old Boys por 2 a 0 na Bombonera.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.