Boca Juniors frustra argentinos

Decepção generalizada com a atuação do Boca Juniors. A imprensa local não perdoou o empate em 2 a 2 contra o Palmeiras. Os argentinos esperavam fazer da vitória um momento de comemoração especial já que o país viveu hoje uma greve geral contra a política econômica do presidente Fernando de la Rúa e o segundo dia da prisão do ex-presidente Carlos Menem. O time mais popular não só frustrou a população, como está preocupado demais para a decisão da vaga à final da Libertadores semana que vem em São Paulo."Golpeado", estampava o caderno de esportes de ontem do jornal La Nacion, explicando que o Boca foi atingido jogando nos seus domínios, onde tinha obrigação de vencer. O diário Crônico era mais claro: "Boca no pudo com Palmeiras y solo empato". Lamentações em clima de tango só do El Clarin: "Boca sufrió demasiado pero merecía irse com más resto a São Paulo" e do Olé: "Si jugando asi casi lo gana..."."Não conseguimos superar a forte marcação dos brasileiros. Seria importante o Boca sair daqui com uma vitória. Teremos de reverter lá.Não é porque vencemos a final da Libertadores no ano passado que temos a obrigação de conseguir novamente. E o que mais me preocupa são os atacantes que perdi. Vou ter problemas para montar o time em São Paulo", confessava, irritado, o técnico Carlos Bianchi. Pela primeira vez no Boca Juniors ele acabou expulso do banco de reservas por haver ofendido o árbitro Ubaldo Aquino.Bianchi está tenso porque sabe que tem um time inferior que o do ano passado e ainda perdeu três atacantes. Delgado tem uma contratura que vai levar dez dias para ser curada. Schelotto sofreu tambem uma contratura na coxa direita contra o Palmeiras e, se o departamento médico do time argentino não estiver mentindo, não enfrentará o Palmeiras em São Paulo. O reserva Barijho que já era inferior aos titulares, foi expulso e cumprirá suspensão na partida de volta no Parque Antártica. A saída será apostar em Gimenez, Pandolfi ou no juvenil Colautti.O clima no Boca Junior não é bom. O clube vive dificuldades financeiras. Os jogadores cobram a diretoria que não pagou ainda a conquista do Campeonato Argentino de 2000 e muito menos a premiação pela classificação do time até a semifinal da Libertadores da América.Para evitar que a pressão dos torcedores como a briga dos jogadores com a diretoria, Bianchi declarou que o time viajará para São Paulo na segunda-feira. Quer concentração total para eliminar o Palmeiras em pleno Parque Antártica e reascender o orgulho argentino que ficou abalado na Bombonera.

Agencia Estado,

08 de junho de 2001 | 15h11

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.