Santiago Pandolfi/Reuters - 7/6/2007
Santiago Pandolfi/Reuters - 7/6/2007

Boca Juniors proíbe pirotecnia da torcida em La Bombonera

A preocupação é que o estádio possa ser interditado ou que a equipe perca pontos caso haja fogos de artifícios e sinalizadores

Raphael Ramos - Enviado Especial , estadão.com.br

26 de junho de 2012 | 08h47

BUENOS AIRES - A festa que a torcida do Boca Juniors promete fazer em La Bombonera no primeiro jogo da decisão da Libertadores contra o Corinthians, nesta quarta-feira, não será tão iluminada. Na noite de segunda-feira, a diretoria do clube argentino emitiu um comunicado no qual pede para seus torcedores não levarem "nenhum tipo de pirotecnia" ao estádio.

A preocupação é que o local possa ser interditado ou até mesmo que a equipe perca pontos em competições futuras devido aos fogos de artifícios e sinalizadores de seus torcedores. "Tome consciência dos grandes prejuízos e sanções que o clube pode receber por culpa do uso de qualquer tipo de pirotecnia", avisa trecho do comunicado.

Por causa de incidentes nos jogos contra o Universidad de Chile (fogos de artifício chegaram o gramado) e Arsenal (um bandeirinha foi atingido), havia o temor de que a La Bombonera fosse interditada pelas autoridades argentinas às vésperas da final da Libertadores. Apenas na segunda-feira veio a confirmação de que o estádio está liberado.

O medo se justifica pelo fato de na Libertadores do ano passado o Vélez Sarsfield ter perdido o mando de campo do primeiro jogo jogo das quartas de final contra o Libertad pelo mesmo motivo. Numa partida contra o Banfield, pelo Campeonato Argentino, a fumaça tomou conta do gramado do estádio José Amalfitani por causa da grande quantidade de fogos. Punido, o time se viu obrigado a jogar em La Bombonera.

Na segunda-feira, foram vendidos os últimos ingressos da carga de 45 mil que o Boca disponibilizou para os seus torcedores.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.