Boca Juniors quer estrear camiseta rosa, mas AFA ameaça clube com multa

Cor é inédita na história do time argentino e tem provocado polêmica entre torcedores

O Estado de S. Paulo

09 de outubro de 2013 | 17h29

SÃO PAULO - A estreia da "polêmica" camisa rosa do Boca Juniors no domingo, contra o Rosário Central, não deverá acontecer. Ao menos foi o que estabeleceu a AFA, a Associação de Futebol Argentina, em boletim divulgado nessa quarta-feira. Segundo a entidade, o Boca deverá atuar com seu tradicional uniforme azul e dourado, enquanto o adversário entrará em campo de branco. Ou isso, ou multa.

O segundo uniforme na cor rosa foi anunciado em 22 de julho, e desde o primeiro momento tem gerado discussões. De acordo com a imprensa argentina, boa parte dos torcedores do clube é contrário à novidade. Nunca na história o Boca Juniors utilizou uma camisa dessa cor, sendo que o presidente do clube, Daniel Angelici, admitiu que a escolha se deu por "motivos comerciais". Boca e Nike, fornecedora do material esportivo, estabeleceram que a camisa rosa seria a alternativa ao uniforme número 1 até metade do próximo ano. Depois disso, ele voltará a ser branco.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.