Boicote dos cariocas não assusta Liga

A realização ou não do Torneio Rio-São Paulo virou mais um triste episódio do circo que é o futebol brasileiro. Há pouco mais de um mês do início da competição e depois de quase tudo definido, três notórios "encrenqueiros" do País resolveram atacar mais uma vez. Eduardo Viana, o Caixa d?Água, presidente da Federação de Futebol do Rio de Janeiro, afirmou, nesta terça-feira, que não haverá torneio e que o início do Campeonato Carioca, com a presença dos grandes clubes, está marcado para 19 de janeiro. Edmundo Santos Silva, do Flamengo, garantiu que só participa do campeonato se receber cotas maiores que as dos demais clubes, por ter a maior torcida do Brasil, e Eurico Miranda, do Vasco, disse que sua equipe deverá ficar fora do evento.Parece, no entanto, que, desta vez, a tentativa de bagunçar o futebol vai fracassar. A TV Globo, que comprou os direitos de transmissão do torneio, informou ter sido comunicada pela Liga que o Rio-São Paulo ocorrerá com ou sem a participação de Vasco e Flamengo, a partir do dia 19. A emissora garantiu que mantém a transmissão do campeonato.Representando o Rio, Eduardo Viana disse que os cariocas só aceitarão participar do Rio-São Paulo se ele for disputado nos moldes dos últimos anos, com apenas quatro equipes do Rio e quatro de São Paulo, de modo que não impeça a realização do Estadual. A decisão seria uma represália às investigações da CPI contra Eurico e Edmundo. Mas como ficaria o contrato com a TV Globo, que pagará R$ 65 milhões à Liga pelos direitos de transmissão da edição de 2002? "Não assinamos nada com a Globo", alegou o presidente da Federação do Rio.Seu autoritarismo irritou até alguns colegas cariocas, que nem sequer foram consultados sobre a intenção ou não de participar do torneio. Fluminense e Botafogo, por exemplo, confirmaram presença no Rio-São Paulo. "Antigamente, acreditávamos em palavra. Hoje, temos contrato assinado, com firma reconhecida e registrado em cartório. Agora estamos rasgando esse contrato?", lamentou Marcelo Penha, vice-presidente de futebol do Fluminense, em entrevista à Rádio Globo, ressaltando que o acordo com a TV Globo já havia sido firmado.Se ficarem fora do Rio-São Paulo, Vasco e Flamengo perderão a participação nas cotas distribuídas pela Liga. "Não estamos nem aí para o dinheiro", afirmou Eduardo Viana. Nem aí? Talvez seja por isso que os jogadores do Vasco não recebem salários há meses e que o Flamengo tem cerca de R$ 150 milhões em dívidas.O secretário-geral da Liga e presidente do São Paulo, Paulo Amaral, não acredita que Vasco e Flamengo ficarão fora da competição. Ele até estranhou o fato de o Flamengo estar ameaçando abandonar o torneio por causa das divisões de cotas por clubes. "Isso não é motivo, porque ainda nem definimos como será feita a divisão do bolo."Paulo Amaral e o presidente da Liga, Eduardo José Farah, além de outros dirigentes, se reunirão para definir os últimos detalhes do Rio-São Paulo e tentar pôr fim ao impasse com Flamengo e Vasco. O dirigente do São Paulo revelou também que o São Caetano está garantido no campeonato. O Botafogo-SP deve perder a vaga.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.