Bola aérea do São Paulo preocupa defesa palmeirense

Zagueiro Gustavo diz que jogadores devem ter atenção para evitar os cruzamentos de Jorge Wagner

Daniel Akstein Batista, O Estado de S. Paulo

09 de abril de 2008 | 18h36

O Palmeiras sabe muito bem qual é a principal jogada do São Paulo: bola alçada na área para o atacante. Mesmo porque, os palmeirenses já provaram do veneno são-paulino, na partida da primeira fase do Paulistão. Agora, o trabalho é para evitar ser vítima novamente nas semifinais do campeonato, a partir do próximo domingo, no Morumbi.  Veja também: O Palestra Itália tem condições de sediar o segundo jogo da semifinal? 67.815 ingressos para o primeiro clássico São Paulo x Palmeiras  Palestra Itália receberá segundo jogo da semifinal do Paulistão Os números e destaques dos confrontos das semifinais Palmeiras contrata volante Sandro Silva, do Mirassol No dia 16 de março, no clássico disputado em Ribeirão Preto, o São Paulo marcou seu gol justamente com Adriano, após cobrança de escanteio. Depois, no entanto, o Palmeiras conseguiu a virada e acabou vencendo por 4 a 1. Para que a cena não se repita no domingo, o técnico Vanderlei Luxemburgo promete fazer treinos exaustivos durante a semana, com os jogadores do Palmeiras, para trabalhar os lances de bola parada na defesa. "Sabemos que hoje ele [Adriano] é uma referência na área", disse o zagueiro Gustavo, um dos titulares da defesa palmeirense, que dá a receita para bloquear a arma são-paulina. "A melhor forma de anular um jogador como ele é não deixar a bola chegar." Segundo Gustavo, o Palmeiras terá de evitar os cruzamentos para a área, principalmente do meia Jorge Wagner. "Temos uma semana inteira para trabalhar. O São Paulo tem uma equipe alta, o Jorge Wagner bate muito bem faltas e escanteios", declarou o zagueiro palmeirense. "Temos de estar atentos e entrar em campo preparados." Além de ir direto na origem da jogada, para evitar os cruzamentos de Jorge Wagner para a área, a ordem palmeirense é não dar espaço para Adriano. "Não podemos deixar ele explorar o nosso corpo", avisou Gustavo, preparado para um duelo particular com o principal atacante do São Paulo no jogo de domingo. Amigo de Adriano "desde os 15 anos de idade", o volante Léo Lima também vai entrar em campo com atenção redobrada no domingo. Afinal, ele conhece bem a força do atacante do São Paulo. "Se você esperar ele dominar [a bola] e girar, ele vai levar vantagem", contou o jogador do Palmeiras. "É preciso cercá-lo bem." VANTAGEM?Os jogadores palmeirenses evitam falar que vão ter maiores condições de sair com a vitória no domingo, uma vez que o São Paulo vai jogar nesta quinta-feira no Chile, contra o Audax Italiano, pela Libertadores - enquanto isso, o Palmeiras terá a semana livre para trabalhar para o clássico. "Talvez vamos ter uma preparação melhor, mas não vejo vantagem. Eles vão estar bem também", avisou Gustavo, prevendo muito equilíbrio no duelo que definirá um dos finalistas do Paulistão. "O São Paulo tem um time de qualidade."

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.