Divulgação/Hotel Al Aziziyah
Divulgação/Hotel Al Aziziyah

Bolha de convivência e localização privilegiada: saiba como será a rotina do Palmeiras no Catar

Equipe viaja para a disputa do Mundial de Clubes na noite desta terça-feira e estreia no domingo pela semifinal

Ciro Campos, O Estado de S.Paulo

02 de fevereiro de 2021 | 09h00

Os jogadores do Palmeiras embarcam na noite desta terça-feira para a disputa do Mundial de Clubes, no Catar, onde vão ter uma rotina intensa de treinos e circular por uma área bastante nobre da capital do país, Doha. O elenco tem previsão de deixar São Paulo por volta das 23h e terá cerca de 15 horas de viagem até o destino, onde vai desfrutar de muito conforto e precisará obedecer a uma série de cuidados com a pandemia.

O jogo com o Botafogo, nesta terça, será o último compromisso da equipe antes do embarque. Ao fim da partida, o elenco deixa o Allianz Parque e vai para a Academia de Futebol. Por lá, o elenco vai jantar e fazer os últimos preparativos antes da ida ao aeroporto. A decolagem do voo fretado está prevista para as 23h. Só estarão na aeronave jogadores, comissão técnica e alguns dirigentes. Todos precisam testar negativo para a covid-19 para entrarem no Catar.

A equipe terá como concentração na capital catariana um luxuoso hotel de cinco estrelas. A acomodação foi indicada pela Fifa. O hotel tem 140 quartos com decoração no estilo inglês e uma ampla estrutura de cozinha e spa. O local está a cerca de 15 minutos do centro da cidade e a 30 minutos do aeroporto, porém é vizinho de pontos muito importantes para a cidade quando se trata de futebol.

O hotel está ao lado do estádio Khalifa, palco da final do último Mundial de Clubes e uma sedes das próxima Copa do Mundo. No entanto, o estádio não será utilizado nesta edição do torneio. Também ao lado da concentração fica a Academia Aspire, um grande centro esportivo mantido pelo governo local voltado à formação de atletas de várias modalidades, incluindo o futebol. A estrutura é um dos pontos responsáveis pelo crescimento da seleção local, atual campeã asiática.

A Aspire tem campos de treino, estádio, academia e uma série de professores estrangeiros. O complexo custou cerca de R$ 5 bilhões para ser construído. O local está listado pelo comitê organizador da próxima Copa como um dos futuros campos de treino de seleções no Mundial de 2022. Apesar disso, o Palmeiras ainda não foi comunicado pela Fifa sobre qual local será o centro de treinamento do time nesta edição.

A equipe ficará a apenas cerca de 15 minutos do estádio da semifinal do torneio, o Education City. A final também será disputada no mesmo local. Caso a Fifa escolha para o Palmeiras o mesmo campo de treinos utilizado por outros times do torneio, a distância também não é tão grande. Clubes como o Tigres e o Ulsan têm treinado na Universidade do Catar, a cerca de 20 minutos da concentração palmeirense.

No Catar a delegação terá de obedecer a um protocolo de segurança e permanecer na chamada "bolha". Os jogadores não poderão ter contato com outras pessoas nem receber visitas de amigos, comparecer a eventos de patrocinadores ou visitar atrações turísticas. Só será permitido sair do hotel para os treinos ou jogos. Tudo será monitorado nos mínimos detalhes. Haverá também uma rotina rigorosa de testes.

Os jogadores vão ter de cuidar do distanciamento social, do uso do álcool em gel e também vestir máscaras. A organização do torneio vai limitar a capacidade dos estádios em até 30%. Para comprar ingresso é preciso comprovar que foi vacinado ou tem teste negativo para a covid-19. O Palmeiras estreia no próximo domingo, pela semifinal, contra o vencedor do confronto entre Ulsan e Tigres.

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.