Bolívia e Colômbia só pensam na vitória, pelas Eliminatórias

Time boliviano utiliza a altitude de La Paz para tentar apagar vexame diante do Uruguai, na primeira rodada

16 de outubro de 2007 | 21h01

A Bolívia encara nesta quarta-feira a Colômbia no estádio Hernando Siles de La Paz, às 18h de Brasília, querendo esquecer os 5 a 0 para o Uruguai na estréia das Eliminatórias Sul-americanas à Copa do Mundo de 2010.   Veja também: Classificação  Calendário / Resultados  Paraguai e Uruguai fazem o clássico da rodada Argentina e Venezuela duelam pela 2.ª vitória nas Eliminatórias Chile recebe seleção do Peru em busca da primeira vitória   Para conseguir este objetivo, o técnico da Bolívia, Erwin Sánchez, mudará mais da metade da equipe. A base será formada pelos dez jogadores que ficaram em La Paz realizando preparação física - entre eles o atacante Juan Carlos Arce, do Corinthians.   Do grupo que saiu derrotado em Montevidéu, o técnico deve repetir o goleiro Sérgio Galarza e os defensores Ronald Raldes, Miguel Hoyos e Lorgio Alvarez. O atacante Marcelo Moreno, do Cruzeiro, pode ir para o banco, pois teve atuação apagada. As mudanças na equipe são necessárias também porque os colombianos sabem jogar nestas condições (Bogotá está 2.640 metros acima do nível do mar), mas não passaram de um 0 a 0 com o Brasil.   O que vem assustando é a fraca procura por ingressos: até agora foram vendidos apenas 5 mil dos 45 mil disponibilizados para a partida, com preços entre R$ 11,50 e 68,40. Outra importante arma da Bolívia será a altitude, pois La Paz fica 3.577 metros acima do nível do mar.   Uma das mudanças na defesa é a entrada do rápido lateral-direito Luis Gatty Ribeiro, cujo retorno à seleção foi solicitado insistentemente pela imprensa. O meia Limberg Gutiérrez, considerado o cérebro da equipe, volta após cumprir suspensão. Os jogadores da seleção resolveram deixar de lado a questão das premiações pela participação nas Eliminatórias, que os levou a viajar para Montevidéu em meio a um clima de tensão - ameaçaram até não viajar - e obrigou a interrupção do programa de treinos.   O zagueiro Raldes, capitão da equipe, disse que o melhor é pensar apenas no futebol e deixar de lado a questão. Porém, segundo a imprensa, os jogadores esperam ter resolvido tudo antes das partidas contra Argentina e Venezuela, em novembro.   O técnico da Colômbia, Jorge Luis Pinto, já anunciou quatro mudanças em relação à equipe que empatou com o Brasil. Segundo o treinador, as trocas respondem a características táticas e físicas. A maioria delas seria na defesa, com a troca dos laterais Camilo Zúñiga e Estiven Vélez. Gerardo Vallejo pegaria o lugar do primeirona direita, enquanto o segundo teria como substituto Javier Arizala.   Outro que pode perder a vaga é o meia Ferreira, do Atlético-PR. Aldo Leao Ramírez pode entrar em seu lugar, como aconteceu na partida de domingo. Freddy Grisales, que acabou machucado, é desfalque certo. Ele retornará hoje à Argentina para se tratar de um hematoma na coxa direita com os médicos de sua equipe, o Colón de Santa Fé.   O jogador, que entrou nos últimos 20 minutos do confronto com os brasileiros, sentiu muitas dores e foi cortado. Mas a lesão não é grave, pois não houve rompimento do músculo ou do tendão. No ataque, Falcao e Rentería, que incomodaram bastante a defesa brasileira, brigarão por um lugar ao lado de Carmelo Valencia, que não esteve no El Campín de Bogotá. O goleiro Agustín Julio foi bem, mas deve voltar ao banco, pois Robinson Zapata cumpriu suspensão.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.