Bolívia faz 4 a 2 na Venezuela em casa e ganha a primeira nas Eliminatórias

No duelo entre as duas piores seleções deste início das Eliminatórias Sul-Americanas para a Copa do Mundo de 2018, que será na Rússia, Bolívia e Venezuela tinham tudo para fazer uma partida fraca, sem grandes emoções em campo. Mas o que se viu no estádio Hernando Siles, em La Paz, nesta quinta-feira, foi o contrário. Pela terceira rodada da competição, bolivianos e venezuelanos fizeram um jogo cheio de alternativas e gols, com placar favorável aos donos da casa por 4 a 2.

Estadão Conteúdo

12 de novembro de 2015 | 20h18

O resultado positivo fez com a Bolívia conseguisse os seus três primeiros pontos nas Eliminatórias - em outubro, havia sido derrotada em casa pelo Uruguai e como visitante pelo Equador. Já a Venezuela segue sem pontuar - perdeu antes para Paraguai, como mandante, e para o Brasil, em Fortaleza.

Nesta terça-feira, as duas seleções entram em campo pela quarta rodada. Às 21 horas (de Brasília), a Bolívia terá pela frente o Paraguai, no estádio Defensores del Chaco, em Assunção. Um pouco mais cedo, às 19 horas, a Venezuela joga em casa, na cidade de Guayana, contra o Equador.

Em campo, o que prevaleceu foram as jogadas de ataque dos dois times e, como consequência das falhas defensivas de ambos, muitos gols. Logo aos cinco minutos de jogo, a Bolívia quase abriu o placar com Chumacero. Aos 18, ele saiu quando a defesa da Venezuela saiu jogando errado, Cardozo roubou a bola e tocou para Ramallo, que deu uma cavadinha e colocou os donos da casa na frente.

Arrasadora, a Bolívia fez o segundo três minutos depois. Lizio foi derrubado por Angel dentro da área e o árbitro marcou pênalti. O atacante Juan Carlos Arce, ex-Corinthians, cobrou o pênalti com força, no meio do gol, e ampliou.

Sem se abalar com a força boliviana, a Venezuela foi ao ataque e conseguiu diminuir aos 31 minutos, quando Rondón aproveitou uma sobra dentro da área e marcou o gol. Só que pouco antes do intervalo, aos 45, a Bolívia fez 3 a 1 em uma cabeçada de Ramallo.

Na segunda etapa, a Bolívia manteve a sua postura ofensiva e logo marcou o quarto gol. Aos 3 minutos, Chumacero fez boa jogada pela direita do ataque e tocou para Ramallo. O atacante tentou marcar seu terceiro na partida, mas o goleiro Baroja impediu. No rebote, porém, Rudy Cardozo encheu o pé.

Pouco tempo depois, a Venezuela diminuiu novamente e marcou o segundo gol aos 10 minutos. Richard Blanco recebeu dentro da área, fez bela finta na marcação e bateu com força, sem chances para o goleiro Vaca. Daí até o final, os visitantes ainda tiveram um gol anulado por impedimento e não tiveram forças para evitar a derrota por 4 a 2.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.