Bolívia pode não jogar contra o Brasil nas Eliminatórias

Bolivianos só aceitam defender a seleção se o governo aprovar pacote de resoluções que protege os atletas

Efe,

20 de agosto de 2008 | 16h42

A seleção boliviana advertiu que pode não jogar contra Equador e Brasil pelas Eliminatórias Sul-Americanas da Copa do Mundo de 2010, em setembro, caso governo e diretores do setor continuem descumprindo os acordos e resoluções judiciais que favorecem os direitos dos jogadores do país.   Veja também:Faça a sua aposta no Bolão Vip do Limão   A decisão foi confirmada pelo dirigente dos Jogadores Agremiados da Bolívia (Fabol), Milton Melgar, ex-vice-ministro de Esportes do presidente boliviano Evo Morales.   Segundo o dirigente, as "exigências" ao Governo e à Federação Boliviana de Futebol (FBF) têm a ver com a necessidade de emitir leis e normas para proteger os direitos dos jogadores em seus clubes, com relação a seus contratos e seus seguros médicos.   Melgar também afirmou que os dirigentes do futebol nacional descumprem as decisões judiciais do tribunal de Justiça esportiva boliviano que beneficiam os jogadores.   Na terça-feira, em Santa Cruz, os jogadores da seleção do país disseram que não vão aceitar a convocação para essas partidas se não houver uma resposta satisfatória às reivindicações da Fabol.   "Nenhum de nossos filiados se apresentará caso sejam convocados", disse Melgar ao declarar que a medida conta com o apoio dos 340 filiados da organização presidida por ele.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.