Bolívia quer levar questão da altitude a congresso da Fifa

Apesar do esforço boliviano, Fifa não deve rever veto a jogos acima dos 3.600 metros de altitude

EFE

22 de abril de 2008 | 15h54

A Federação Boliviana de Futebol (FBF) pediu à Fifa que inclua um debate sobre a disputa de jogos em altitudes extremas na agenda de seu próximo congresso extraordinário.Segundo palavras do secretário-geral da federação, José Pedro Zambrano, o organismo quer defender o assunto no próximo congresso extraordinário da Fifa, a ser realizado no final de maio na cidade australiana de Sydney.Ainda segundo Zambrano, o presidente da FBF, Carlos Chávez, se encontrará em breve com seu colega da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, um dos principais promotores do veto ao futebol internacional na altitude.De acordo com o secretário-geral, Chávez tentará "aproximar posições" com o presidente da CBF e fazer com que ele entenda os pontos de vista dos bolivianos, visando buscar sua "solidariedade" para defender La Paz como sede da seleção nos jogos das Eliminatórias Sul-americanas à Copa do Mundo de 2010.A Fifa proibiu a Bolívia de continuar jogando pelas Eliminatórias nos quase 3.600 metros de altitude de La Paz. A única forma de jogar lá seria com um período prévio de duas semanas de aclimatação - algo impossível para as seleções.Ainda segundo uma regra da entidade que rege o futebol mundial, os jogadores que atuam em clubes estrangeiros só podem ser liberados às federações de seus respectivos países por quatro dias para treinar com a seleção.A FBF respondeu com a ratificação de La Paz como palco principal e histórico da seleção boliviana, enquanto a Confederação Sul-Americana de Futebol (CSF) também pediu à Fifa que permita à Bolívia encerrar as Eliminatórias para o Mundial de 2010 nesta cidade.

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.