Ricardo Saibun/Santos F.C
Ricardo Saibun/Santos F.C

Bom retrospecto fora de casa embala o Santos

Depois da fraca exibição diante do Náutico, Alvinegro encara o Atlético-MG para recuperar os pontos perdidos na Vila

Sanches Filho, O Estado de S. Paulo

29 de setembro de 2013 | 08h00

SANTOS - O Santos quer recuperar contra o Atlético-MG, hoje às 18h30 no estádio Independência, os dois pontos que deixou de somar no empate por 1 a 1 diante do Náutico, na Vila Belmiro, para se manter com possibilidade de entrar no G-4 e manter vivo o sonho de voltar à Libertadores em 2014.

E se vencer não será nenhuma surpresa para o time que foi capaz de se impor diante do Internacional no Sul, do São Paulo no Morumbi, e do Fluminense no Maracanã. Outra vez desfalcado de Montillo, que sofreu a quarta lesão em nove meses, o time terá a volta de Arouca e Thiago Ribeiro, que cumpriram suspensão pelo terceiro amarelo na rodada passada.

“Não duvido que o Santos faça um baita jogo contra o Atlético-MG”, disse Claudinei Oliveira, após reconhecer que a equipe teve a pior apresentação sob o seu comando no Brasileirão. Mais do que ninguém, o treinador sabe que embora tenha jogadores jovens e ainda esteja em formação, a sua equipe consegue encontrar forças para se reerguer após um grande tombo, como aconteceu contra o Corinthians, depois do vexame no Camp Nou diante do Barça.

Claudinei deve armar o time como equipe de porte médio e visitante, fechado na defesa, tirando os espaços do adversário e explorando os contra-ataques. A ausência de Montillo é a oportunidade que ele tem para reforçar a marcação, com um paredão formado por Renê Júnior, Alison e Arouca, na tentativa de impedir que a bola do Galo chegue à frente com qualidade para Jô e Tardelli.

Claudinei deve proteger a entrada da área e quando o time recuperar a bola, liberar Cícero e Arouca para encostarem em Thiago Ribeiro e William José. Cicinho, que, em determinados momentos até parece ponta, vai puxar os contra-ataques pela direita. Mas, o que deve mudar a cara do time do meio para frente, é o retorno de Thiago Ribeiro. “É ruim ficar fora e fico feliz por voltar num jogo dessa grandeza, mas a responsabilidade é enorme. O jogo é difícil, um clássico nacional e o Santos já provou que joga bem fora de casa”, disse o atacante. “Não podemos pensar que empate é bom. Se almejamos o G-4, temos de vencer.”

ATLÉTICO-MG

Com o afastamento de Ronaldinho Gaúcho por cerca de três meses, Cuca terá de mudar o planejamento para o Brasileirão.

“É uma fatalidade. Infelizmente acontece. Estamos encaixando o bom futebol e a tendência é seguir melhorando pouco a pouco, mesmo sem o Ronaldinho, para chegar no auge na hora certa”, disse Cuca, que também não terá o goleiro Victor, suspenso. O time perdeu apenas um jogo dos últimos 12 que disputou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolSantosBrasileirão

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.