´Bombeiro´, Joel tenta evitar nova crise no Fluminense

O técnico do Fluminense, Joel Santana, teve de agir como bombeiro nesta segunda-feira para evitar uma nova crise no Fluminense. A derrota de sábado para o Madureira deixou a equipe em penúltimo lugar no Grupo B da Taça Rio, com apenas 3 pontos, e com o risco de ficar mais uma vez de fora das semifinais.Para o clássico de quinta-feira, contra o Flamengo, o técnico admitiu a possibilidade de fazer mudanças na equipe titular, mas afirmou que não agirá radicalmente. Um problema inesperado pode ser a ausência do meia Carlos Alberto, que sofre dores na bacia - ele ficou um mês parado, por causa de uma lesão muscular, e o time perdeu os dois jogos desde sua volta.?Não adianta mexer muito porque temos que preservar nossos atletas, mas vou conversar com eles. Passamos uma semana conturbada e isso trouxe prejuízos para a equipe. Vamos apagar a fogueirinha que foi criada aqui?, disse, culpando o doping do zagueiro Renato Silva, já afastado do clube, pelo mau resultado contra o Madureira.Joel se recusou a comentar a ausência do lateral-direito Leonardo Moura, um dos principais jogadores do Flamengo, que cumpre suspensão automática no clássico. ?Estou muito preocupado com os nossos problemas para ficar olhando os do vizinho?.O coordenador de Futebol, Branco, parabenizou Joel Santana depois de uma reunião com os jogadores nas Laranjeiras. O dirigente ressaltou que o momento é o de pensar na recuperação, e não nos pontos já perdidos. "Foi uma conversa franca do Joel, dei os parabéns a ele, porque todos assimilaram bem o que ele falou. Precisamos pensar no futuro, no Flamengo?, afirmou o dirigente.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.