Bonamigo quer Palmeiras ?guerreiro?

O time guerreiro e vencedor que Paulo Bonamigo projetou para o Palmeiras não está tão longe de sair do papel. Óbvio que em apenas dois dias de trabalho técnico nenhum seria capaz de acabar com todos os problemas. Mas o caminho já foi traçado pelo novo chefe. A partir do jogo deste sábado, às 18h10, contra o São Caetano, no ABC, pelo Campeonato Brasileiro, o Palmeiras terá de pensar e agir como time grande que é.?A partir de hoje o Palmeiras vai lutar pela vitória do primeiro ao último minuto. E isso é uma obrigação?, avisa o chefe.Claro que somente pelo esforço e pela vontade de seus jogadores seria difícil acreditar numa ascensão muito rápida da equipe. Tão importante quanto a ?chacoalhada? que o novo técnico deu no grupo é a presença de Juninho Paulista no ataque. O meia, que faz sua estréia neste sábado no Palmeiras, acompanha o discurso de Bonamigo.?O Palmeiras tem que ter uma outra cara. Não pode jogar como fez contra o Santo André, na terça-feira. Ninguém obriga ninguém a jogar bem. Mas tem que ter determinação, é preciso suar a camisa, lutar pela vitória sempre?.De sua parte, Bonamigo dividiu as suas primeiras 48 horas de trabalho no Palmeiras em duas partes. Em campo, fez um coletivo na sexta-feira e um treinamento tático no sábado, repetindo a mesma formação do último jogo, com Juninho Paulista no lugar de Diego Souza. Fora de campo, o desafio foi resgatar a auto-estima do grupo.?Nesse momento o Palmeiras precisa entrar em campo sem pressão. Sei que vai ser um caldeirão, mas o time tem que aprender a jogar com alegria, tem que buscar a vitória sempre, ainda que, em determinadas partidas, possa não convencer. Mas nesse primeiro momento do trabalho, lutar, brigar pelo objetivo (a vitória) tem de ser a marca registrada da equipe?.O novo técnico já percebeu o quanto o time está fragilizado. Em seu primeiro contato com os jogadores, sexta-feira, ficou assustado. Mas nesta sexta-feira já sentiu uma certa evolução no parte emocional.?De ontem para hoje (22) já senti um ânimo bem maior. Conversei muito com eles, procurando passar a nova filosofia. Mostrei a importância de começar bem o trabalho, de criar uma boa impressão. Quando se muda (de comando) há sempre um impacto. E nós estamos trabalhando no sentido de que esse impacto seja positivo?, observa o técnico.Quanto ao adversário deste sábado, Bonamigo não vê grandes mistérios. Ele conhece o time do ABC muito bem e até já trabalhou com alguns de seus jogadores, entre eles Márcio Santos e Zé Luís.?Mas isso independe, porque a informação hoje é fácil, todo mundo conhece todo mundo. A história mostra o São Caetano como um time competitivo. Nos últimos cinco anos eles sempre chegaram bem em quase todas as competições. É uma equipe que joga há muito tempo no 3-5-2, que marca forte e tem ótimos jogadores, como o Marcinho. Vai ser um jogo muito difícil para nós. Por isso é importante que o Palmeiras jogue com dignidade. Se tiver a mesma disposição que o adversário pode fazer a diferença na técnica?.Já em relação à estréia de Juninho Paulista, Paulo Bonamigo aposta numa resposta positiva do meia.?Esse é o tipo de jogador que dá qualidade a qualquer equipe. Mas não podemos esquecer que o Juninho está fazendo o seu primeiro jogo pelo Palmeiras. O time já deve dar uma resposta, mas eu prefiro esperar um crescimento jogo a jogo. Dele, Juninho, e do próprio Palmeiras. Não podemos esquecer que o Campeonato Brasileiro é uma competição de oito meses. Regularidade é fundamental quando se joga em turno e returno?.

Agencia Estado,

22 de abril de 2005 | 19h03

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.