Bonamigo só sai do Palmeiras se quiser

O técnico Paulo Bonamigo continua no Palmeiras. Quem garante é o diretor de futebol, Salvador Hugo Palaia. "Acho que ele é um técnico trabalhador. Pegou o time disputando duas competições, recebeu novos reforços e ainda está entrosando o time. É verdade que os resultados não são os que gostaríamos, mas acho que está faltando entrosamento e um pouco de sorte", defendeu o dirigente. "No que depender de mim, Bonamigo é o técnico do Palmeiras."Somente uma hipótese derrubaria o treinador. Se o próprio Bonamigo chegar nesta terça-feira pela manhã e pedir demissão. "Se isso ocorrer, vamos entender. Vou dizer obrigado e boa sorte!", disse Palaia.Para reforçar a permanência do técnico, o dirigente disse que recebeu ?carta branca? do presidente do clube, Affonso della Monica, com quem conversou duas vezes sem tocar no assunto Bonamigo. "Falamos só sobre coisas relacionadas ao futebol. Não dissemos nada de troca de técnico."Palaia estava revoltado com os boatos sobre a contratação do técnico Emerson Leão. "É tudo mentira. Não sei de onde tiraram essa história de Leão no Palmeiras", reclamou o dirigente, que não esconde sua admiração pelo ex-treinador do São Paulo: "Pergunto para você quem são os técnicos de ponta do futebol brasileiro. A resposta é Luiz Felipe Scolari, Vanderlei Luxemburgo e... Emerson Leão. Não tem mais nenhum. Me diga um nome", desafiou o dirigente.O diretor de futebol pediu paciência à torcida, que após a derrota para o Corinthians no domingo, gritou o nome de Leão. "Torcedor quer que seu time vença. Se o Palmeiras tivesse vencido, esse clima ia estar lá no Parque São Jorge. Era o técnico do Corinthians que teria a pressão do Leão. Futebol é assim mesmo. Eu acho até que o Palmeiras não jogou mal. Teve bons momentos na partida. Faltou um pouco de sorte. Não podemos esquecer que estamos fazendo um trabalho de transição. Queremos montar um time forte no ano que vem."Mesmo que Bonamigo venha a cair, Leão é uma opção quase descartada devido a seu alto salário. O treinador estaria pedindo pedindo R$ 450 mil por mês para assinar com algum clube no Brasil, quantia considerada absurda pelo Palmeiras. "Você sabe quanto é R$ 450 mil? É muito dinheiro. Só assinaríamos com o Leão se ele aceitasse as nossas condições."Sobre a reunião que ocorre todas as segundas-feiras, Palaia minimizou a importância dos encontros. Comparou a uma roda de amigos falando sobre futebol. "Nós nos reunimos aqui só para conversar. Eu, o Ílton (Ílton José da Costa, gerente de futebol), o José Cyrillo Júnior (vice-presidente do clube). Às vezes, o presidente aparece, mas também é só para conversar. Sexta-feira, ficamos até as 21h30 papeando", garantiu Palaia, tirando o caráter oficial do encontro que ocorreu nesta segunda-feira, às 18 horas.Bonamigo está sendo esperado nesta terça-feira na Academia para treinar o time principal.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.