Borges marca e São Paulo derrota o Guarani em Campinas

Em seu primeiro lance no jogo, o atacante que entrou no segundo tempo decide jogo tecnicamente fraco

Rafael Argemon, estadao.com.br

23 de março de 2008 | 18h04

Com um gol salvador de Borges, o São Paulo conseguiu arrancar uma importante vitória para o São Paulo, por 1 a 0, sobre o Guarani, em Campinas. A derrota neste domingo, além de complicar ainda mais a vida dos donos da casa no Paulistão - o Bugre segue na zona de rebaixamento -, o time campineiro segue há 11 anos (20 jogos) sem bater s equipe tricolor.  Veja também: Borges brilha e alcança Adriano na artilharia do São Paulo Classificação Resultados e calendário Já para os são-paulinos os três pontos foram cruciais para que o Corinthians - que bateu o Rio Claro por 1 a 0 também neste domingo - não ficasse tão distante na quarta colocação da competição.  O São Paulo teve muito mais posse de bola que o Guarani, e a entrada de Carlos Alberto no meio-campo deu mais  criatividade ao time, porém, a equipe não conseguiu produzir lances de muito perigo contra os donos da casa. Por sua vez, o Guarani apostava nos contra-ataques, mas como a equipe visitante, também não conseguiu um lance incisivo sequer contra o gol de Rogério Ceni.Guarani0Gisiel; Xandão, Marcelo e Diego    ; Maranhão    , Roger Bernardo, Fabinho (Vitor Rossini), Marcinho (Paulo Santos) e Alessandro    ; Henrique e Cris (Andrezinho)Técnico: Jair Picerni São Paulo1Rogério Ceni; Zé Luís    , André Dias, Miranda e Joílson    ; Hernanes Richarlyson    , Jorge Wagner e Carlos Alberto (Borges); Dagoberto     (Hugo) e Aloísio    Técnico: Muricy RamalhoGols: Borges, aos 26 minutos do segundo tempoÁrbitro: Philippe LombardRenda: R$ 146.690,00Público: 11.412 pagantesEstádio: Brinco de Ouro Os donos da casa mudaram de atitude no segundo tempo, partindo para cima do São Paulo, mas a partida seguiu muito fraca tecnicamente, tanto que os goleiros de ambos times não tiveram qualquer trabalho do apito inicial até a metade da etapa final. A falta de produtividade no ataque irritou tanto Muricy Ramalho, que o técnico são-paulino sacou Carlos Alberto para colocar Borges, e o atacante não demorou a mostrar serviço. Aos 26 minutos, em seu primeiro toque na bola, ele arriscou de longe e a bola entrou rasteira no canto direito do gol bugrino.  Logo depois que saiu de campo e já no banco de reservas, Carlos Alberto se rendeu à sorte de seu treinador. "Professor, esse gol foi seu. Nunca vi um técnico fazer uma substituição tão boa", brincou o meia, que acabou por resumir toda a partida, em que um lance individual acabou decidindo o resultado.

Tudo o que sabemos sobre:
São Paulo FCGuaraniPaulistão A-1

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.