Cesar Greco/Ag. Palmeiras
Cesar Greco/Ag. Palmeiras

Borja e Mina retornam ao Palmeiras e devem jogar na segunda-feira

Colombianos voltam de compromisso com a seleção e ficam à disposição do técnico para a partida contra o Avaí

O Estado de S. Paulo

17 Novembro 2017 | 15h45

O zagueiro Yerry Mina e o atacante Miguel Borja estão de volta ao Palmeiras. Após desfalcarem o time nos últimos jogos enquanto disputavam amistosos com a seleção colombiana, os dois se reapresentaram ao técnico Alberto Valentim no treino desta sexta-feira e estão à disposição para a partida da próxima segunda-feira, contra o Avaí, na Ressacada, pelo Campeonato Brasileiro.

+ Palmeiras confirma a contratação de Diogo Barbosa

+ Clube realiza consulta por atacante Bernard

Os dois passaram os últimos dias na Ásia, onde participaram de amistosos contra Coreia do Sul e China. A dupla treinou junto com os reservas pela manhã, em atividade disputada em campo reduzido. Já quem atuou na vitória por 5 a 1 sobre o Sport, na quinta, no Allianz Parque, ficou somente na área interna da Academia de Futebol, em trabalhos regenerativos.

A presença de Borja deixa indefinido o ataque. O colombiano estava atuando como titular antes da viagem, porém o substituto, Deyverson, fez quatro gols nas duas últimas partidas. Valentim afirmou na quinta-feira que a situação gera "uma dor de cabeça boa" para resolver.

O lateral-direito Mayke, com dores no quadril, foi desfalque diante do Sport e continuou sem treinar no gramado. O jogador fez musculação e continua como dúvida para a próxima partida. Um desfalque certo para a partida em Florianópolis é o volante Felipe Melo. Punido pelo Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) por confusão no clássico com o Corinthians, ele terá de cumprir uma partida de suspensão.

O Palmeiras faz mais dois treinos antes da viagem para Santa Catarina. No sábado o trabalho é pela manhã e no domingo, na parte da tarde. As duas atividades serão fechadas à imprensa.

Encontrou algum erro? Entre em contato

publicidade

publicidade

publicidade

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.