Wolfgang Rattay/Reuters
Wolfgang Rattay/Reuters

Borussia Dortmund dá vez para o 'povão' e lota estádio

Clube alemão tem a melhor média de público do futebol mundial

ALMIR LEITE, O Estado de S.Paulo

04 de agosto de 2013 | 07h29

DORTMUND - O Borussia Dortmund é apontado como o clube de melhor média de público do futebol mundial. Na temporada 2012/2013, em que foi vice-campeão alemão e europeu, levou ao Signal Iduna Park 80.558 pessoas por jogo. Como a capacidade de seu estádio é de 80.700 torcedores, na prática teve ocupação de 100%. Para isso, um fator é preponderante: parte dos ingressos que vende tem um dos preços mais baratos da Europa.

Dono de uma das maiores e mais fanáticas torcidas da Europa, o Borussia reserva extenso setor do Signal para seguidores fiéis, mas de menor poder aquisitivo. Na temporada passada, cobrou apenas A 9,30 (cerca de 28,50) por partida do Alemão no caso de ingresso comprado isoladamente. Quem optou por comprar carnê para todos os jogos em casa do campeonato pagou A 5,59 (R$ 17) por jogo. E os que acrescentaram os três confrontos da primeira fase da Copa dos Campeões no pacote pagaram apenas A 5,50 (R$ 16.60).

Nessa faixa popular, o bilhete mais caro saiu por A 50 (R$ 151,30). Claro que também há preços altos, de até A 500 (R$ 1.531). Na Alemanha, vários outros clubes seguem a fórmula adotada pelo Dortmund.

Na Inglaterra, ao contrário, os preços são salgados. Com a alta demanda, que garante estádios cheios, os clubes grandes não têm pena dos torcedores. O Chelsea cobra 36 libras (R$ 125,80) pelo ingresso cheio mais barato. No Manchester United, sai por 30 libras (R$ 105) e o Arsenal chegou a cobrar 62 libras (R$ 217).

Essa “elitização’’ começa a encontrar resistência. Desde o início do ano, grupos cada vez maiores de torcedores têm protestado contra os altos preços. Querem a volta dos bilhetes populares. No entanto, isso não deve mudar no curto prazo.

Tudo o que sabemos sobre:
Fut InterBorussia Dortmund

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.