ina Fassbender/Reuters
ina Fassbender/Reuters

Borussia Dortmund deslancha no fim e goleia Hamburgo

Vice-campeão alemão e europeu consegue a vitória a partir dos 20 minutos da segunda etapa

AE, Agência Estado

14 de setembro de 2013 | 15h29

DORTMUND - O Borussia Dortmund disputava um jogo complicado até os 20 minutos do segundo tempo. Aí, fez quatro gols em sequência e conseguiu uma incrível goleada de 6 a 2 sobre o Hamburgo. Assim, com a vitória em casa neste sábado, se manteve como único clube com 100% de aproveitamento no Campeonato Alemão, isolado na liderança com 15 pontos.

Atual vice-campeão alemão e europeu - perdeu os dois campeonatos para o Bayern de Munique -, o Borussia Dortmund vai mostrando que continua tão forte quanto esteve na temporada passada. Dois dos reforços recém-chegados, o atacante francês Aubameyang e o meia armênio Mkhitaryan, já se encaixaram no time e estão dando ótimo resultado.

Aubameyang e Mkhitaryan marcaram gols diante do Hamburgo, assim como o artilheiro polonês Lewandowski e o meia alemão Marco Reus. Com esse quarteto ofensivo, o Borussia Dortmund vai ameaçando o domínio do Bayern de Munique, que também venceu neste sábado (2 a 0 no Hannover) e aparece em segundo lugar no campeonato, agora com 13 pontos.

Jogando diante de sua fanática torcida - a média de público é de mais de 80 mil pessoas por partida -, o Borussia Dortmund abriu 2 a 0 rapidamente, com gols de Aubameyang, aos 19, e Mkhitaryan, aos 22 minutos. Mas o Hamburgo, que tem apenas quatro pontos somados no Campeonato Alemão, foi buscar o empate com Lam e Westermann.

Mas, como o rolo compressor, o Borussia Dortmund chegou à goleada nos minutos finais da partida. Aubameyang voltou a colocar o time em vantagem aos 20 do segundo tempo. Depois, saíram dois gols de Lewandowski, aos 28 e aos 36, e um de Reus, aos 29, que definiram o placar de 6 a 2, para delírio da torcida no Signal Iduna Park.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.