Daniel Augusto Jr. Ag. Corinthians
Daniel Augusto Jr. Ag. Corinthians

Boselli critica Corinthians após derrota: 'Trabalhar muito se quisermos crescer'

Argentino marcou o gol alvinegro no revés para o Botafogo-SP, em Ribeirão Preto

Redação, O Estado de S.Paulo

29 de junho de 2019 | 22h30

O atacante argentino Mauro Boselli não gostou nem um pouco da derrota do Corinthians para o Botafogo-SP por 2 a 1, neste sábado, em amistoso realizado no estádio Santa Cruz, em Ribeirão Preto (SP). O jogador, autor do gol de empate do time corintiano - o rival venceu com um Teno aos 47 minutos do segundo tempo -, saiu de campo decepcionado com o resultado negativo.

"Temos que melhorar muito, não estamos jogando bem. Tem que trabalhar muito se quisermos crescer no campeonato e melhorarmos muito porque assim não conseguiremos ganhar", afirmou Boselli, contrariado com a derrota, em entrevista ao canal de TV a cabo SporTV ainda no gramado.

O Corinthians, que entrou em campo neste sábado com oito desfalques, busca em amistosos nesta parada do calendário para a disputa da Copa América a melhor forma tática para enfrentar as duas competições que tem pela frente no segundo semestre: Brasileirão e Copa Sul-Americana. No torneio nacional, voltará a jogar no dia 14 de julho, um domingo, contra o CSA, em São Paulo. No continental, o adversário será o Montevideo Wanderers, do Uruguai, no final de julho.

Até esta partida contra os alagoanos, o time comandado pelo técnico Fábio Carille fará mais dois amistosos. O primeiro será nesta quinta-feira, às 21h30, contra o Vila Nova, no estádio Serra Dourada, em Goiânia. No domingo seguinte, às 11 horas, o adversário será o Londrina, no estádio Willie Davis, em Maringá (PR).

Antes da partida contra o Botafogo-SP, o técnico Fábio Carille afirmou que espera por reforços para o segundo semestre. Na visão dele, o time do Corinthians é bom, mas não pode ser considerado "diferenciado". Ele ainda lamentou os desfalques que têm tido nos treinamentos nesta intertemporada.

"Na folga, estive na casa dos meus pais em Sertãozinho para elaborar muita coisa e quando cheguei foi totalmente diferente. Já perdi uma semana, iria repetir Clayson e Everaldo juntos e não estou conseguindo. Isso faria com que fôssemos mais agressivos, incomodar o rival. Meio que estacionou. Temos um time bom, mas faltam três cerejas para que seja diferenciado", analisou, em entrevista dada na última sexta-feira. "Quero dois jogadores mais agudos, principalmente pela direita. Eu quero, mas isso está longe", acrescentou.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolCorinthiansMauro Boselli

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.