Gilvan de Souza/Flamengo
Gilvan de Souza/Flamengo

Botafogo bate Flamengo e deixa rival mais longe da briga pelo título brasileiro

Equipe rubro-negra estaciona no 3º lugar a seis pontos do líder Palmeiras, que pode ampliar a vantagem diante do Atlético-MG

O Estado de S.Paulo

10 Novembro 2018 | 21h42

O sonho do Flamengo de ser campeão brasileiro ficou mais distante após a derrota para o Botafogo, por 2 a 1, neste sábado à noite, no estádio Nilton Santos, o Engenhão, pela 33.ª rodada. Surpreendido por dois gols ainda no primeiro tempo, o rubro-negro não conseguiu reagir e perdeu uma série invicta de nove jogos, seis deles sob o comando do técnico Dorival Júnior.

Com 60 pontos, o Flamengo segue em terceiro lugar, seis pontos atrás do líder Palmeiras, que pode ampliar a vantagem neste domingo, quando vai enfrentar o Atlético-MG, em Belo Horizonte. Pode até ficar distante do Internacional, vice-líder com 61 pontos, e que pega o Ceará, em Fortaleza (CE). O Botafogo deu um largo passo na sua fuga da ameaça de queda, chegando aos 41 pontos, em décimo lugar. 

O Botafogo aproveitou o bom posicionamento de seus jogadores em campo para dominar o meio-campo no começo do jogo. Bloqueado, sem saída, o Flamengo passou a errar passes e perder a bola. O alvinegro aproveitou bem a mostrou eficiência ao marcar seus gols.

O primeiro gol saiu aos 18 minutos, num contra-ataque. Após a roubada de bola na defesa, Leo Valencia lançou Erik em velocidade. Ele passou fácil pela defesa, deu uma leve ajeitada de cabeça e, já dentro da área, desvio do goleiro César que saia em desespero.

Dez minutos depois, aos 28, saiu o segundo gol. Numa falta bem do lado esquerdo, mas perto da linha de fundo, Leo Valencia cobrou em curva e muito efeito. O goleiro César esperava o cruzamento e viu a bola passar sob as suas mãos.

A ampla vantagem deu mais confiança ao Botafogo e, de outro lado, tirou o controle emocional do Flamengo. Os jogadores demonstravam muito nervosismo. O Flamengo só foi ameaçar aos 40 minutos num chute de longe de Vitinho e defendido por Gatito Fernández.

O clima tenso ainda gerou confusão no final do primeiro tempo, quando com a bola parada, Lucas Paquetá tentou repor a bola em jogo e foi bloqueado por Rodrigo Lindoso. Na tentativa de pegar a bola, Paquetá perdeu a cabeça e deu uma rasteira no botafoguense. Foi amarelado, num lance que poderia ser expulso.

Mas o Flamengo voltou totalmente diferente no segundo tempo. Determinando a mudar a história, impôs um ritmo forte desde o início. No primeiro minuto, Lucas Paquetá chutou de fora da área, a bola quicou na pequena área e dificultou a defesa de Gatito Fernandes, que espalmou para o lado. Aos três minutos saiu o primeiro gol rubro-negro. Pará foi até a linha de fundo e levantou do outro lado, onde Vitinho subiu e testou firme.

O empate quase saiu aos oito minutos, numa falta na frente da grande área. Vitinho cobrou, a bola desviou na barreira e ainda raspou no travessão. Nesta altura, a posse de bola era toda do Flamengo. Mas o Botafogo quase ampliou aos oito minutos, após escanteio e o cabeceio de Erik em cima de César, que defendeu com os pés.

Passado este momento de pressão total flamenguista, o Botafogo conseguiu equilibrar as ações, valorizando a posse de bola e deixando o tempo passar. O goleiro Gatito Fernández, inclusive, recebeu o cartão amarelo por retardar o jogo. Aos 30 minutos, o técnico Dorival Júnior tentou dar ânimo novo ao seu time, colocando Marlos Moreno no lugar do apagado Éverton Ribeiro.

Na última parte do jogo, porém, o Botafogo teve o domínio em campo. E quase fez o terceiro gol aos 38 minutos, num chute cruzado de Rodrigo Pimpão e que explodiu na trave. Sem força, o Flamengo não conseguiu o empate e ainda correu riscos nos contra-ataques botafoguenses.

Os dois times voltam a jogar no dia 15, feriado nacional, pela 34.ª rodada às 17 horas. O Botafogo vai sair diante da Chapecoense, enquanto o Flamengo vai receber o Santos, no Maracanã, no Rio de Janeiro.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 2 X 1 FLAMENGO

BOTAFOGO - Gatito Fernández; Marcinho, Joel Carli, Igor Rabello e Gilson (Moisés); Rodrigo Lindoso, Matheus Fernandes, Leonardo Valencia (Renatinho), Luiz Fernando (Rodrigo Pimpão) e Erik; Brenner. Técnico: Zé Ricardo.

FLAMENGO - César; Pará (Rodinei), Léo Duarte, Réver e Renê; Cuéllar (Diego), William Arão, Éverton Ribeiro (Marlos Moreno) e Lucas Paquetá; Uribe e Vitinho. Técnico: Dorival Júnior.

GOLS - Erik aos 18 e Leo Valencia aos 28 minutos do primeiro tempo. Vitinho aos 3 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Bráulio da Silva Machado (SC).

CARTÕES AMARELOS - Rodrigo Lindoso, Gatito Fernández, Joel Carli e Gilson (Botafogo). Cuéllar, Diego, Lucas Paquetá, Réver, Willian Arão e Renê (Flamengo).

RENDA - R$ 169.885,00.

PÚBLICO - 16.882 pagantes (19.267 total).

LOCAL - Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

 

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.