Vítor Silva/SSPress/Botafogo
Vítor Silva/SSPress/Botafogo

Botafogo bate Fluminense e assume a vice-liderança do Brasileirão

Equipe do técnico Eduardo Barroca vence a terceira seguida, passa a somar nove pontos e dorme como vice-líder da competição

Felipe Laurence, especial para o Estado, Estadão Conteúdo

11 de maio de 2019 | 18h34

Vindo de vitórias nas últimas rodadas, o Botafogo triunfou no clássico do Maracanã ao derrotar o Fluminense por 1 a 0, neste sábado, pela quarta rodada do Campeonato Brasileiro. A equipe do técnico Eduardo Barroca ganhou a terceira seguida em quatro jogos, passou a somar nove pontos e vai terminar o dia como vice-líder da competição - com a mesma pontuação, o líder Atlético-MG jogará neste domingo contra o Palmeiras, em Belo Horizonte, no complemento da rodada.

Embalado pela virada histórica diante do Grêmio, superado por 5 a 4 em jogo espetacular no último domingo, no Sul, o time do técnico Fernando Diniz jogou melhor em grande parte dos 90 minutos, mas não conseguiu impedir a vitória do Botafogo e continua perto da zona de rebaixamento. A equipe ocupa a 14ª posição, com três pontos, um à frente do CSA, 17º e que hoje encabeça a área de risco da tabela.

Tanto Botafogo quanto Fluminense tinham jogadores machucados para o clássico. No Botafogo, Gilson e João Paulo ficaram fora da partida e, no Fluminense, Bruno Silva e Airton foram os principais desfalques.

O Fluminense abriu o jogo explorando espaços que a defesa do Botafogo deixou pelo lado esquerdo e conseguiu se impor durante parte do primeiro tempo, criando as melhores chances de gol e dominando a posse de bola, com vantagem de 61% contra 39% do Botafogo.

Apesar disso, o time comandado pelo técnico Fernando Diniz teve problemas nas finalizações e não soube transformar essa vantagem em gol. Após a parada técnica, as instruções dadas por Barroca surtiram efeito e o jogo ficou mais equilibrado, com as equipes travando a bola no meio de campo.

O zagueiro argentino Joel Carli fez bom primeiro tempo, conseguindo impedir o avanço do Flu pelo lado esquerdo - muito prejudicado por conta de show realizado no Maracanã no dia 4 de maio - e chegou a tomar cartão amarelo aos 23 minutos por falta ao tentar desarmar contra-ataque de Ganso.

A principal chance do Botafogo no primeiro tempo veio aos 28 minutos, quando o goleiro Rodolfo errou na saída de bola e a entregou nos pés do atacante Erik, que chutou por cima do gol. Aos 42, Pedro fez bonita jogada para o Fluminense, com direito a drible em cima de Gabriel, que conseguiu desviar a bola para escanteio e evitar o primeiro gol do time tricolor. Ganso e Luciano também tiveram chances dentro da área do Botafogo, mas não converteram em gols.

INTERVALO

Na saída para os vestiários após o primeiro tempo, o atacante Diego Souza reclamou de falta de Matheus Ferraz em cima dele que não foi marcada e impediu chance de gol do Botafogo. "É porque é comigo, vejo outras coisas acontecendo aí. Lance de gol, de amarelo, o zagueiro ficaria pendurado, agora ele está pronto para me dar outra", disse o jogador.

Após o intervalo, o rendimento do jogo caiu. Apesar de o Fluminense continuar dominando a posse de bola, não conseguiu recuperar a intensidade apresentada no início e o Botafogo diminuiu os espaços que o ataque rival tinha, aproveitando contra-ataques pelo meio.

O árbitro Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza também foi uma das razões para o rendimento cair. Ele parou muito o jogo e impediu o bom fluxo da partida. A arbitragem ficou em evidência em dois lances: um impedimento errado marcado pelo auxiliar Anderson José de Moraes Coelho em voleio de Pedro e ao anular gol do atacante Luciano, que estava impedido após cobrança de falta de Ganso bater na barreira.

Em momento de desatenção do meio de campo do Flu, o Botafogo puxou contra-ataque com Erik, que passou para Diego Souza e ele tocou para Jonathan na esquerda. O jogador fez ótimo cruzamento para Alex Santana, que subiu sozinho e cabeceou sem chance para Rodolfo, abrindo o placar para o Botafogo aos 26 do segundo tempo.

Alex Santana teve chance de ampliar em outro contra-ataque aos 32, quando recebeu bola de Gustavo Bochecha, tirou o goleiro da jogada e mandou para o gol pelo lado de fora das redes. Matheus Ferraz chegou a empatar para o Fluminense aos 37, mas o gol foi anulado após o VAR determinar corretamente que Pedro estava impedido na jogada que originou o lance.

O Fluminense voltou a pressionar o Botafogo após ter seu gol anulado, mas o desespero não resultou em gols. Aos 45 minutos, o clima ficou pesado no Maracanã após jogadores do tricolor reclamarem de demora na cobrança do lateral e três atletas receberam cartões amarelos.

Botafogo vai tentar engatar sua terceira vitória consecutiva no próximo dia 19, em jogo contra o Goiás no estádio Serra Dourada, às 16h, em Goiânia. Já o Fluminense enfrenta o Cruzeiro duas vezes seguidas na próxima semana: primeiro na quarta-feira, pela Copa do Brasil, e depois no sábado, pela quinta rodada do Brasileirão.

FICHA TÉCNICA

FLUMINENSE 0 X 1 BOTAFOGO

FLUMINENSE - Rodolfo; Gilberto, Nino (Kelvin), Matheus Ferraz e Caio Henrique; Allan, Paulo Henrique Ganso e Daniel (Léo Arthur); Yony González, Luciano e Pedro. Técnico: Fernando Diniz.

BOTAFOGO - Gatito Fernández; Fernando, Joel Carli, Gabriel e Jonathan; Gustavo Bochecha, Alex Santana (Rickson) e Cícero; Erik (Leonardo Valencia), Diego Souza e Rodrigo Pimpão (Yuri). Técnico: Eduardo Barroca.

GOL - Alex Santana, aos 26 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Marcelo Aparecido Ribeiro de Souza (PB).

CARTÕES AMARELOS - Daniel, Allan, Fernando Diniz e Luciano (Fluminense); Joel Carli, Erik, Jonathan, Gustavo Bochecha e Leonardo Valencia (Botafogo).

RENDA - R$ 608.010,00.

PÚBLICO - 22.350 pagantes (24.600 presentes).

LOCAL - Estádio do Maracanã, no Rio.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.