Vitor Silva/BFR
Vitor Silva/BFR

Botafogo bate Náutico por 2 a 0 e dorme na ponta do Brasileirão

Mesmo com uma atuação ruim dos cariocas, o abismo entre os times se converteu em vitória

LEONARDO MAIA, Agência Estado

20 de julho de 2013 | 20h48

RIO - Existe uma razão para o Botafogo ser o líder provisório do Campeonato Brasileiro e o Náutico ser o lanterna. A disparidade técnica entre ambos está refletida na classificação da competição, ainda que não tenha se manifestado amplamente na noite deste sábado, em São Januário. Mesmo com uma atuação ruim dos cariocas, o abismo entre os times se converteu em uma vitória por 2 a 0 em favor dos botafoguenses, que levou o alvinegro ao topo da tabela.

Com 16 pontos, o Botafogo superou em um o Coritiba e assumiu a liderança, até a tarde de domingo, pelo menos, quando o time paranaense joga contra o Santos, na Vila Belmiro, e o Vitória faz o clássico contra o Bahia.

Além disso, a vitória alvinegra prepara uma semana interessante, na qual só crescerá a expectativa para o duelo com o rival Flamengo, no dia 28, no retorno de ambos os clubes ao Maracanã depois de quase três anos.

O Náutico, com apenas quatro pontos, segue na desconfortável situação de pior time do Brasileiro. "Título" que vai ostentar por pelo menos mais uma rodada, até encarar o Internacional, dia 28, em Recife.

O triunfo alvinegro foi construído a partir de uma alteração precisa, e que poderia aparentar um despautério, do técnico Oswaldo de Oliveira. Depois de um primeiro tempo pífio de seus comandados, o treinador mostrou que conhece muito bem o elenco e as características de cada jogador.

Com Seedorf e Lodeiro, catalisadores da equipe, em fraca exibição, Oswaldo observou a tendência de Rafael Marques em deixar a área para buscar jogo. Com a área do Náutico deserta de camisas escuras, a primeira etapa foi de enorme escassez.

O nível pôde ser medido pelas vaias dos poucos alvinegros que visitaram São Januário para acompanhar seu time. Se tecnicamente a noite não é das melhores, pelo menos vontade não pode faltar, ainda mais em um duelo que pode levar a equipe à liderança do Brasileiro. Mas os cariocas pareciam fazer um descompromissado coletivo, sem nenhum tipo de animação.

"Nós dominamos o jogo, mas não criamos muito", lamentou Oswaldo, que mudou completamente o panorama do jogo com a entrada de Elias no lugar de Vitinho, no intervalo. "Quero o Elias dentro da área para ter mais uma opção, pois eles estão muito fechados."

Foram necessários apenas quatro minutos para que a mexida de Oswaldo se mostrasse mais do que acertada. Com Rafael Marques atuando como homem de canto e armação, Elias se enfiou na área. Foi do primeiro o passe para o segundo abrir o placar, em boa trama, no início do segundo tempo.

A vantagem deu tranquilidade e injetou um pouco de ânimo nos cariocas, que substituíram a apatia por seriedade, mesmo que ainda faltasse brilho. Sem muito esforço, os botafoguenses chegaram ao segundo gol. Aos 33, Lodeiro cruzou e Renato mergulhou para ampliar.

BOTAFOGO 2 X 0 NÁUTICO

BOTAFOGO - Jefferson; Gilberto (Edilson), Bolívar, Dória e Julio Cesar; Gabriel, Renato, Lodeiro e Seedorf (Lucas Zen); Vitinho (Elias) e Rafael Marques. Técnico: Oswaldo de Oliveira.

NÁUTICO - Ricardo Berna; Auremir, Jean Rolt, William Alves e Eltinho; Elicarlos (Maranhão), Derley, Rodrigo Souto (Hugo) e Marcos Vinícius (Oliveira); Rogério e Jones Carioca. Técnico: Zé Teodoro.

GOLS - Elias, aos quatro, e Renato, aos 33 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Elmo Alves Resende Cunha (GO).

CARTÃO AMARELO - Gilberto, Lodeiro (Botafogo). Maranhão, Jones Carioca (Náutico).

RENDA E PÚBLICO - não disponíveis.

LOCAL - Estádio São Januário, no Rio (RJ).

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBrasileirãoBotafogoNáutico

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.