Botafogo bate o Atlético-MG e assume a quarta posição

O Botafogo chegou ao grupo dos líderes do Campeonato Brasileiro, neste sábado, ao derrotar o Atlético Mineiro por 2 a 0, na Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG). O resultado deixa a equipe carioca com 51 pontos, quatro a mais que os rivais diretos na disputa pela vaga no G-4 - São Paulo, Grêmio, Atlético Paranaense e Palmeiras.

MARCELO PORTELA, Agência Estado

30 de outubro de 2010 | 21h02

Já o Atlético, que deixou a zona de rebaixamento no último domingo, depois de 21 rodadas consecutivas, ao vencer o Cruzeiro, voltou para a região da degola. Além da derrota em casa, a equipe mineira, que permaneceu com 34 pontos, foi prejudicada pelo triunfo do Vitória por 4 a 2 sobre o Vasco, já que o time baiano chegou a 37 pontos e deixou a turma que pode cair para a Série B.

O Atlético bem que tentou aproveitar o mando de campo e se impôs durante quase todo o primeiro tempo. Os atacantes Obina e Diego Tardelli se destacaram, participando das principais jogadas de perigo. Mas as falhas na finalização jogavam água fria na torcida alvinegra. Além disso, as bolas que seguiam em direção ao gol paravam nas defesas de Jefferson.

Por sinal, o goleiro, ao lado de Márcio Rosário, foi quem mais mostrou serviço pela equipe fluminense no primeiro tempo. O resto do Botafogo parecia não se encontrar em campo. Lúcio Flávio bem que tentou armar algumas jogadas arriscadas para o Atlético, principalmente com Jóbson, mas a bola, na maioria das vezes, nem chegava ao atacante.

O segundo tempo parecia que repetiria a etapa inicial, com a única diferença de que, já no início, o Botafogo parecia ter acordado e chegou a armar lances de perigo para os anfitriões. Lúcio Flávio e Jóbson infernizaram a defesa atleticana, mas a bola não entrava. E a maioria das jogadas tinha resposta do Atlético, que tentava manter a pressão sobre o adversário. Mais uma vez, a dupla de artilheiros do time se destacou nos principais ataques, com participação também de Diego Souza, mas sem sucesso.

Isso durou até os 25 minutos, quando o técnico do Botafogo, Joel Santana, pôs Edno no lugar de Lúcio Flávio. Dois minutos depois, o próprio Edno faz boa jogada com Loco Abreu e abriu o placar na Arena do Jacaré. Com o gol, o Atlético pareceu perder toda a animação na partida e, aos 44, o mesmo Edno lançou para Loco Abreu, que só teve o trabalho de passar por Renan Ribeiro e completar o marcador.

Joel Santana avaliou que o Botafogo chegou à vitória na "paciência e na determinação dos jogadores". "Agora, todo jogo para nós é mata-mata. É decisivo. Os jogadores foram valentes, disciplinados, audaciosos", ressaltou.

"Se o Botafogo mereceu ganhar pelas situações da própria partida, na minha opinião o Atlético não merecia perder. Fez uma grande partida e não teve erros. O Botafogo é que teve dois acertos", declarou Dorival Júnior. "Ficamos em cima deles o tempo todo. Mas vamos erguer a cabeça porque já tem jogo difícil na quarta-feira", completou Serginho, referindo-se ao jogo contra o Guarani, em Campinas, pela 33.ª rodada do Brasileirão.

Ficha técnica

Atlético-MG 0 x 2 Botafogo

Atlético-MG - Renan Ribeiro; Rafael Cruz (Wescley), Lima, Réver e Leandro; Alê, Serginho, Renan Oliveira e Diego Souza (Nikão); Diego Tardelli e Obina. Técnico: Dorival Júnior.

Botafogo - Jefferson; Leandro Guerreiro, Danny Morais, Márcio Rozário e Alessandro; Fahel, Marcelo Mattos, Lúcio Flávio (Edno) e Somália; Jóbson (Caio) e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

Gols - Edno, aos 30, e Loco Abreu, aos 45 minutos do segundo tempo.

Cartões amarelos - Diego Tardelli e Serginho (Atlético-MG); Alessandro (Botafogo).

Árbitro - Evandro Rogério Roman (Fifa-PR).

Público - 17.012 pagantes.

Renda - R$ 92.780,00.

Local - Arena do Jacaré, em Sete Lagoas (MG).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.