Sebastian Silva/EFE
Sebastian Silva/EFE

Botafogo celebra reação, mas lamenta empate no Chile pela Libertadores

Igualdade no placar leva o time carioca aos quatro pontos, na liderança do Grupo 2

Agência Estado

27 de fevereiro de 2014 | 10h36

SANTIAGO - O técnico Eduardo Hungaro deixou o empate do Botafogo por 1 a 1 com a Unión Española, no Chile, com sentimentos distintos. O treinador ficou satisfeito com o poder de reação do time, que conseguiu a igualdade no final, após estar perdendo por 1 a 0, mas também avaliou que poderia ter conquistado um resultado melhor, pois dominou o adversário, mesmo atuando como visitante.

"Sempre buscamos a vitória, mas o empate fora não é um resultado inesperado. O Unión Española é uma equipe que incomoda a defesa. O campo dificultou as características do Botafogo. O time merecia um resultado melhor e a derrota seria injusta. O Botafogo mostrou força, equilíbrio e qualidade. Pressionamos o adversário e conseguimos o empate", disse.

Hungaro avaliou que o Botafogo praticamente não foi ameaçado pelo adversário e teria vencido se não sofresse o gol no momento em que dominava a partida. "Não lembro de nenhum lance importante deles a não ser o gol. O Botafogo controlava a partida e criava oportunidades. O gol veio em momento inoportuno. Talvez se não levasse, teríamos vencido", afirmou.

O empate na noite de quarta-feira levou o Botafogo aos quatro pontos, na liderança do Grupo 2 da Libertadores. O time agora volta as suas atenções para o Campeonato Carioca, pois no sábado vai encarar o Macaé, às 16 horas, em Moça Bonita, pela 11ª rodada.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.