Botafogo culpa 'falha operacional' por apagão em estádio

Técnicos do Conselho Regional de Engenharia e Arquitetura (Crea) vistoriaram nesta sexta-feira o Engenhão para detectar os problemas que causaram o segundo apagão no estádio em menos de uma semana. Eles se reuniram com dirigentes do Botafogo e sugeriram que o clube disponha de uma equipe de manutenção para os eventos no Engenhão.

AE, Agência Estado

29 de abril de 2011 | 20h02

Na quinta, o jogo Fluminense x Liberdad, do Paraguai, pela Libertadores, começou com 65 minutos de atraso por causa de falta de luz no estádio.

O fato havia se repetido no domingo passado, durante o Fla x Flu, pelo Campeonato Carioca. O Crea vai fazer nova vistoria no estádio na semana que vem. Também nesta sexta-feira, o Ministério Público do Estado informou que vai pedir esclarecimentos ao Botafogo sobre os incidentes.

Em entrevista coletiva, o vice-presidente de patrimônio do Botafogo, Francisco Fonseca, "esclareceu" que os dois episódios não têm relação. Atribuiu o apagão durante o clássico carioca a um problema de falta de luz externo, que acometeu outras ruas do bairro do Engenho de Dentro. Sobre a falta de luz na noite de quinta-feira, antes do jogo do Fluminense, apontou como causa uma "falha operacional" no sistema de iluminação do Engenhão.

"O sistema é todo informatizado. Como uma chave foi acionada de forma errada, houve um desligamento por efeito de segurança no setor oeste. Depois, caiu o outro lado, exatamente por reflexo do erro. Foram 20 minutos para identificar, seis para resolver e 25 minutos para os refletores esfriarem e serem religados, como acontece em qualquer estádio do mundo", explicou.

Em nota no seu site oficial, o Botafogo alega que "comprovou" que a iluminação está em perfeitas condições ligando todos os refletores do estádio enquanto Fonseca concedia entrevista coletiva.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.