Vitor Silva/Divulgação
Vitor Silva/Divulgação

Botafogo derrota Cabofriense com grande atuação de goleiro

Gol salvador foi marcado pelo jovem Sassá, já no segundo tempo

Estadão Conteúdo

22 Março 2015 | 18h33

O goleiro Renan estava há nove meses sem jogar uma partida oficial pelo Botafogo. Ele voltou neste domingo e substituiu à altura o goleiro Jefferson, que está a serviço da seleção brasileira. Cria da base alvinegra, o goleiro fez grandes defesas que garantiram a vitória por 1 a 0 sobre a Cabofriense, no estádio Cláudio Moacyr, em Macaé, pelo Campeonato Carioca.

A Cabofriense começou o jogo a todo vapor. Antes do segundo minuto de partida, criou três chances claras de gol, mas o goleiro Renan defendeu todas. Passado o susto inicial, o Botafogo conseguiu equilibrar as iniciativas. Jobson era o homem de ataque mais acionado do Botafogo. Porém, sempre que tinha o controle da bola, era pouco objetivo e abusava do preciosismo.

Embora tivesse maior presença no ataque, o Botafogo não conseguia passar da forte retranca imposta pelo adversário. No contra-ataque, o time de Cabo Frio era contundente, principalmente aproveitando os avanços dos laterais alvinegros. Dessa forma, teve mais duas chances claras de marcar com Arthur Faria e Gilcimar, mas Renan praticou outras grandes defesas, garantindo que sua equipe fosse para o intervalo sem desvantagem no placar.

O time da capital voltou para o segundo tempo com uma postura mais agressiva. Por algumas vezes, Jobson recebeu a bola no meio do campo em condições de criar boas jogadas, mas insistia em prender a bola.

Impaciente, a torcida, da arquibancada, pedia a entrada do atacante Rodrigo Pimpão. O técnico René atendeu ao pedido, mas, em vez de Jobson, tirou Tássio e houve pequena melhora.

Com maior movimentação na frente, o Botafogo passou a criar mais oportunidades e chegou ao gol com Sassá. O atacante recebeu cruzamento em profundidade, avançou até a área e acertou um chutaço. Após o gol, o Botafogo criou um ritmo mais lento para esfriar a partida. No fim, Sassá se machucou e teve de deixar o campo, mas todas as substituições possíveis já haviam sido realizadas. Mesmo com um jogador a mais, a Cabofriense não demonstrou resistência e acabou derrotada.

FICHA TÉCNICA

CABOFRIENSE 0 x 1 BOTAFOGO

CABOFRIENSE - Rafael; Lenon, Leandro Souza, Vladimir e Leandro; Hiroshi (Chiquinho), Gerson, Everton e Marcinho (Kaká Mendes); Arthur Faria e Gilcimar (Jones). Técnico: Edson Souza.

BOTAFOGO - Renan; Gilberto, Renan Fonseca, Diego Giaretta e Carleto; Willian Arão, Fernandes, Diego Jardel (Sassá) e Tomas (Gegê); Jobson e Tássio (Rodrigo Pimpão). Técnico: René Simões.

GOL - Sassá, aos 21 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Grazianni Maciel Rocha.

CARTÕES AMARELOS - Éverton, Hiroshi e Leandrão (Cabofriense); Carleto e Gilberto (Botafogo).

RENDA - R$ 55.900,00.

PÚBLICO - 2.029 pagantes (2.379 no total).

LOCAL - Estádio Cláudio Moacyr, em Macaé (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.