Botafogo e Atlético-MG abrem confronto no Maracanã

Botafogo e Atlético-MG abrem nesta quinta-feira o confronto válido pelas oitavas de final da Copa do Brasil, em jogo que acontece a partir das 21h50, no Maracanã - a volta será na próxima quarta, em Belo Horizonte. Mas o esperado duelo entre os astros Seedorf e Ronaldinho Gaúcho pode não acontecer, já que o holandês corre o risco de ser poupado no time carioca.

SILVIO BARSETTI, Agência Estado

22 de agosto de 2013 | 07h33

Grande destaque do Botafogo na temporada, Seedorf não participou do treino de quarta-feira e despertou a curiosidade de quem assistiu à atividade da equipe. Depois, o técnico Oswaldo de Oliveira explicou que o veterano atleta, de 37 anos, acusa desgaste muscular.

Se Seedorf for realmente poupado, será substituído por Alex. O técnico, no entanto, frisou que a decisão não estava tomada e que dependeria de uma conversa, nesta quinta-feira mesmo, entre o próprio jogador e os médicos do clube.

Seedorf tem sido o grande responsável pela liderança do Botafogo no Campeonato Brasileiro. Nas vezes em que não atua, o rendimento do time cai e isso é facilmente notado. "Espero que ele possa jogar",

disse Oswaldo de Oliveira.

O treinador tem outra preocupação para enfrentar o Atlético-MG: o alto índice de aproveitamento do adversário em "jogadas aéreas". Por isso, instruiu o time a evitar faltas laterais próximas à área e orientou os zagueiros de como devem se posicionar nas cobranças de escanteios dos visitantes.

Oswaldo de Oliveira citou Ronaldinho Gaúcho como exímio cobrador de faltas e alertou o grupo para as investidas dos zagueiros Réver e Leonardo Silva, cabeceadores de qualidade do Atlético-MG. Outro que deve merecer atenção, principalmente a partir de lances de bola parada, é o atacante Jô.

Do lado do Atlético-MG, Ronaldinho Gaúcho está confirmado no jogo desta quinta-feira. Mas o técnico Cuca tem um desfalque importante: o atacante Diego Tardelli, com dores na coxa esquerda, nem viajou com a delegação para o Rio. E o recém-contratado meia argentino Dátolo não poderá atuar porque já defendeu o Inter em fases anteriores da Copa do Brasil.

"A expectativa é a melhor possível para o jogo. É um grande time. Temos que respeitá-los, mas não podemos deixar de jogar nosso futebol", avisou Ronaldinho Gaúcho, que aposta numa boa campanha do Atlético-MG na Copa do Brasil, torneio de mata-mata como a Libertadores, na qual o clube acaba de conquistar o título - em compensação, no Brasileirão por pontos corridos, ocupa apenas a 14ª colocação no momento.

Apesar de a Copa do Brasil ser uma competição com mesmo formato de disputa, o goleiro Victor espera que o Atlético-MG não enfrente o mesmo sofrimento que teve para conquistar a Libertadores. "O que aconteceu na Libertadores nos deixa vacinado para o que vamos enfrentar. Nossa equipe entendeu como funciona o sistema de mata-mata. É fazer a leitura correra da competição. É tirar lições para evitarmos situações de dificuldade", disse o jogador.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.