André Jonsson/OFEC
André Jonsson/OFEC

Botafogo é derrotado pelo Operário fora de casa e vê G4 mais distante na Série B

Time carioca é superado por 1 a 0 em Ponta Grossa e perde invencibilidade após quatro jogos

Redação, O Estado de S.Paulo

13 de agosto de 2021 | 00h23

Ponta Grossa - O Botafogo não conseguiu a quinta vitória consecutiva na noite desta quinta-feira, quando visitou o Operário e perdeu por 1 a 0, no estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa (PR), pela 17ª rodada da Série B do Campeonato Brasileiro. Para piorar, o G4 - zona de acesso - ficou um pouco mais distante.

Vindo de uma sequência de quatro vitórias consecutivas, o Botafogo queria emplacar o quinto resultado positivo no interior do Paraná. Principalmente para comemorar o aniversário de 117 anos de fundação nesta quinta-feira, dia de comemoração e lançamento do terceiro uniforme.

A derrota, porém, fora de casa manteve o Botafogo com 25 pontos, mas agora em décimo lugar - time carioca perdeu duas posições nesta rodada. Já o Operário venceu a segunda partida seguida, ganhou três colocações e aparece em oitavo com 27 pontos - dois pontos atrás do Sampaio Corrêa, primeiro time dentro do G4.

O primeiro tempo foi bastante equilibrado e com chances de gol dos dois times. Só que o Operário foi mais competente e abriu o placar logo aos sete minutos. Após cruzamento de Thomaz, o goleiro Diego Loureiro saiu mal e Paulo Sérgio, de cabeça, mandou para as redes.

O gol animou o time paranaense, que seguiu no ataque, mas também deixou espaços para o Botafogo assustar. Aos 34, Barreto lançou Marco Antônio, o meia tentou cruzar e, sem querer, acertou o travessão do goleiro Simão, quase marcando um golaço.

Antes do intervalo, o Botafogo voltou a assustar e quase empatou. Aos 46 minutos, Pedro Castro cobrou escanteio e Diego Gonçalves cabeceou para linda defesa de Simão, que tirou a bola em cima da linha, garantindo a vitória parcial do time da casa.

No segundo tempo, o Botafogo voltou com postura mais ofensiva e criou nova oportunidade aos quatro minutos, quando Diego Gonçalves mandou bola na área e Rafael Navarro, com o bico da chuteira, desviou para boa defesa do goleiro Simão com o pé direito.

Cauteloso, o Operário se fechou no campo defensivo e esperou os contra-ataques para selar a vitória. E isso quase aconteceu aos 26, quando Rodrigo Pimpão apareceu livre na área e tocou para Paulo Sérgio na saída do goleiro Diego Loureiro. Mas o atacante finalizou em cima do zagueiro Gilvan, desperdiçando grande chance.

O Botafogo então esboçou pressão na reta final da partida. Aos 47 minutos, Felipe Ferreira cruzou na área e Gilvan cabeceou. A bola tocou na mão do zagueiro do Operário, mas o árbitro não marcou pênalti, gerando revolta dos cariocas dentro de campo. Tarde demais pelo empate e melhor para o time paranaense.

O Botafogo volta a campo no domingo para enfrentar o Brasil de Pelotas, às 18h15, no Engenhão, no Rio (RJ). Já o Operário, no mesmo dia, mas às 20h30, receberá o Brusque, novamente no Germano Kruger, em Ponta Grossa (PR).

FICHA TÉCNICA

OPERÁRIO 1 X 0 BOTAFOGO

OPERÁRIO - Simão; Alex Silva, Rodolfo Filemon, Reniê e Fabiano; Marcelo Santos, Leandro Vilela, Thomaz (Cleyton), Rafael Longuine (Lucas Mendes depois Rafael Oller) e Rodrigão Pimpão (Odivan); Paulo Sérgio (Schumacher). Técnico: Matheus Costa.

BOTAFOGO - Diego Loureiro; Daniel Borges, Kanu, Gilvan e Guilherme Santos (Hugo); Luís Oyama (Matheus Frizzo), Barreto, Marco Antônio (Felipe Ferreira), Pedro Castro (Rafael Moura) e Diego Gonçalves; Rafael Navarro (Matheus Nascimento). Técnico: Enderson Moreira.

GOL - Paulo Sérgio, aos 7 minutos do primeiro tempo.

ÁRBITRO - Douglas Marques das Flores (SP).

CARTÕES AMARELOS - Simão e Leandro Vilela (Operário); Barreto e Rafael Navarro (Botafogo-RJ).

RENDA E PÚBLICO - Portões fechados.

LOCAL - Estádio Germano Kruger, em Ponta Grossa (PR).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.