Botafogo empata e garante vaga

Em um jogo emocionante, o Botafogo garantiu classificação para a decisão do Campeonato Paulista. Após estar perdendo por 3 a 1, chegou ao empate no segundo tempo (3 a 3) e garantiu neste domingo a possibilidade de enfrentar o Corinthians em busca do título. A Ponte vencia até os 30 minutos do segundo tempo, mas não soube segurar a vantagem. "Chegamos à classificação por causa das mudanças que realizei, ganhei o meio-campo e marcamos os gols de que precisávamos", afirmou, sem modéstia, o treinador do Botafogo, Lori Sandri.No primeiro tempo, valeram as palavras de Nelsinho Baptista, que havia anunciado que a Ponte Preta seria ofensiva desde o início. Mas o treinador campineiro com certeza não esperava que seu trabalho fosse facilitado pelo medo do adversário. Lori Sandri tentou iludir, mas seu ataque ofensivo com três homens não passou de retórica. Até sofrer o primeiro gol, o time de Ribeirão Preto teve apenas um homem à frente, com Gauchinho, apagado em campo, revezando-se com Robert na função. Caberia a Leandro, que substituiu o contundido Luciano Ratinho na armação, organizar os lances de ataque.Mas ele também ficou perdido em meio à forte marcação de Mineiro e Roberto no meio-campo. Em sua primeira jogada, a Ponte Preta teve um pênalti a seu favor aos 9 minutos, quando Bell derrubou Macedo. Washington bateu fraco no canto direito, facilitando a defesa de Doni. Curiosamente, no jogo entre as duas equipes na fase de classificação, que terminou empatado, o goleiro já havia defendido uma penalidade máxima do atacante na disputa do ponto extra.Esperava-se que o lance motivasse o Botafogo a sair para o jogo, mas o panorama não se alterava, Rogério, Augusto e Bell ocupavam-se de rebater as descidas da Ponte. Com Piá jogando mal, coube a Marco Aurélio organizar pela direita os lances que originaram os dois gols da Ponte no primeiro tempo. Aos 14 minutos, ele cruzou para o meio da área. Macedo, desmarcado, desviou e a bola encontrou os pés de Washington livre, que quase embaixo do gol só complementou. Na comemoração com Nelsinho Baptista na beira do campo, uma homenagem ao Dia das Mães.A cena seria repetida 14 minutos depois com os mesmos personagens, com exceção de Macedo. O cruzamento de Marco Aurélio encontrou Washington livre dentro da área, que teve um pouco mais de trabalho desta vez. Driblou Doni e, mesmo sem ângulo, colocou a bola no canto esquerdo.Leandro chutou de dentro da área mas Alexandre neutralizou. No último minuto, o time de Ribeirão Preto teve chance de diminuir, mas o árbitro anulou gol de Robert, que estava impedido. Os 45 minutos finais com certeza ficarão na memória dos 20 mil torcedores presentes ao Moisés Lucarelli. Nem bem a saída havia sido dada, uma aposta de Lori Sandri feita no intervalo mudou o panorama. Cesar, que acabara de entrar, marcou aos dois minutos cobrando falta. O gol mexeu com os jogadores da Ponte. Aos 9 minutos, Piá marcou o terceiro gol da Ponte aproveitando cruzamento de escanteio da direita.O time da casa tocava a bola à espera do encerramento. Só que a aposta de Nelsinho não deu o resultado esperado porque, em um lance casual, o time de Ribeirão Preto diminuiu com Augusto de cabeça. Aos 34 minutos, o Botafogo fez o gol da classificação de pênalti, que Chris sofreu após driblar pelo menos três adversários e ser derrubado por Roberto. Leandro bateu e pôs fim ao sonho da Ponte Preta de chegar à decisão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.