Botafogo empata e praticamente rebaixa o Juventude

Resultado deixa time de Caxias do Sul com apenas 32; já o time carioca começa a pensa na Sul-americana

28 de outubro de 2007 | 20h40

Num jogo de baixa qualidade, mas com vários lances de emoção, Juventude e Botafogo empataram em 1 a 1 na noite deste domingo, em Caxias do Sul, em partida válida pela 33.ª rodada do Campeonato Brasileiro.   Veja também: Classificação Calendário / Resultados   Com o resultado, o time caxiense chegou aos 32 pontos e segue em penúltimo lugar e mais perto do rebaixamento à Série B do Brasileirão. O Botafogo, com 46, está em oitavo, junto com o Atlético-PR, e na zona da Copa Sul-americana.    Juventude 1 Michel Alves; Barão, Nunes    , Danilo e Zé Rodolpho (Bruno); Julio César (Renan    ), Vanzini     (William), Lauro e Renato; Alex Alves     e Tadeu Técnico: Beto Almeida  Botafogo 1 Roger     ; Alessandro, Juninho e Alex; Joilson, Leandro Guerreiro, Diguinho, Lúcio Flávio (Moreno) e Marquinhos (Reinaldo); Zé Roberto (Adriano Felício) e Dodô Técnico: Cuca Gols: Dodô, aos 38 minutos do primeiro tempo; Tadeu, ao 1.º minuto do segundo tempoÁrbitro: Heber Roberto Lopes (PR)Renda: R$ 63.325,00Público: 7.104 totalEstádio: Alfredo Jaconi, Caxias do Sul O Juventude mostrou disposição no início da partida. Tadeu, logo no primeiro minuto, chutou com perigo, mas para fora. Esse ímpeto foi se desfazendo com o tempo. O Botafogo, ao contrário, começou a mostrar um bom toque de bola, aproveitando a marcação frouxa. Aos 21 e aos 27 minutos, o goleiro Michel Alves evitou o gol em conclusões de Zé Roberto.   Aos 36, Alex Alves, em cobrança de falta na meia-lua da área botafoguense, assustou o goleiro Roger, num dos raros ataque do Juventude. A resposta do time carioca foi fulminante. Dois minutos depois, Dodô recebeu um passe de Marquinhos e, de fora da área, acertou o canto superior direito de Michel. Um golaço, dando a vantagem no placar no final do primeiro. Ao Juventude restou a vaia da torcida.   O segundo tempo foi diferente. O Juventude voltou mais disposto e a um minuto empatou. Para isso, contou com um frango do goleiro Roger, que aceitou uma bola chutada da intermediária, fraca, por Tadeu, em cobrança de falta. A partir daí, o time caxiense passou a dominar a criou boas chances.   O Botafogo teve o primeiro lance de perigo apenas aos 22 minutos, com Zé Roberto. Na seqüência, se estabeleceu o equilíbrio. As equipes praticamente se dividiram, com cinco jogadores na defesa e cinco no ataque. Assim, cada avanço representava muito perigo, o que tornou o jogo interessante até o apito final.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.