Botafogo enfrenta o Cruzeiro em clima de 'fim de festa'

Jogadores do clube carioca lamentam ano promissor que terminou cheio de decepções e brigas internas

Leonardo Maia, Agência Estado

31 de outubro de 2007 | 18h16

Por mais que as palavras do técnico Cuca e dos jogadores digam o contrário, o ano já acabou no Botafogo, e a mente de cada um está ocupada com as incertezas para a próxima temporada. O clube, em oitavo lugar com 46 pontos, enfrenta o Cruzeiro hoje, às 20h30, no Engenhão. Para os mineiros, a partida é capital para as pretensões de classificação para a Libertadores. Mas em General Severiano as perguntas giram a respeito das saídas de Dodô e Zé Roberto, que já disseram e redisseram que não ficam mais no clube, e até mesmo do zagueiro Juninho, o mais querido dos torcedores, cujo destino deve ser a Europa. Os dois primeiros sequer participaram do recreativo desta quarta-feira, e ficaram na sala de musculação, mas estão confirmados. "Quero conversar com os jogadores, principalmente o Dodô. Mostrar para ele que é um ídolo do clube, que a torcida gosta dele. Quem sabe não o convenço?" disse Cuca, esperançoso. Caso os atletas permaneçam irredutíveis, o treinador já antevê dificuldades na reposição de talentos para manter o crescimento do clube no ano que vem.BotafogoLopes; Renato Silva, Juninho e Alex (Túlio); Joílson, Diguinho, Leandro Guerreiro, Marquinho e Lúcio Flávio; Zé Roberto e DodôTécnico: CucaCruzeiroFábio; Jonathan, Léo Fortunato, Thiago Heleno e Ângelo; Charles, Ramires, Leandro Domingues e Wágner; Guilherme e AlecsandroTécnico: Dorival JúniorÁrbitro: Wilson Souza de Mendonça (PE-Fifa)Estádio: EngenhãoHorário: 20h30 (de Brasilia)TV: SporTV "Normalmente, numa situação como essa, você busca substituir com jogadores das divisões de base. Mas o Botafogo não tem uma base forte, por enquanto. Teremos que buscar reforços de fora", admitiu Cuca, que avaliou o ano como bom para o Botafogo, apesar dos fracassos imprevistos. Para ele, o planejamento e a filosofia precisam ser mantidos para 2008. "Não dá para jogar fora o que construímos. Não foi um ano trágico. Tivemos apenas um jogo trágico, infelizmente", comentou, referindo-se à eliminação traumática da Copa Sul-Americana ao perder de virada para o River Plate por 4 a 2, na Argentina. Os jogadores também já fazem o balanço do ano, ainda que faltem cinco jogos para o encerramento oficial da temporada. "Foi um ano doloroso para nós. Depois de começarmos muito bem, disputando títulos, caímos muito. Sabemos que tínhamos chances de lutar pelo Brasileiro. Isso é o que machuca mais", lamentou o volante Leandro Guerreiro. "Precisamos de um título no ano que vem para validar todo o crescimento do clube".  Para o confronto com o Cruzeiro, Cuca contará com o retorno do meia Túlio, cuja pena de 120 dias por agressão a Leandro, do São Paulo, foi reduzia pela metade e está apto a atuar. O zagueiro Renato Silva também volta depois de cumprir suspensão. Cuca tem dúvidas se lança Túlio de titular, no lugar do zagueiro Alex (adotando o 4-4-2), ou se mantém o 3-5-2.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.