Botafogo estréia com vitória no Campeonato Carioca

Pé esquerdo de Zé Carlos abre o caminho para a vitória; segundo gol é marcado por Wellington Paulista

19 de janeiro de 2008 | 20h17

O Botafogo estreou no Carioca 2008 com o pé esquerdo de Zé Carlos. O meia foi o autor do gol que abriu o placar da vitória por 2 a 0 sobre o Resende, neste sábado, no Engenhão. Wellington Paulista anotou o outro, também no segundo tempo. Assim, o Alvinegro larga na frente no grupo B da Taça Guanabara e enfrenta o Friburguense, às 19h30 de quarta-feira, no mesmo estádio. Veja também: Fluminense não empolga, mas estréia com vitória no Carioca Sob chuva, o Botafogo começou sem pudores e atacava seguidamente, diante da recuada e eficiente marcação do Resende. A equipe de Cuca, então, tentava o jogo pelas laterais do campo, com Alessandro e Triguinho, e muitas foram as bolas lançadas sobre a área do time do interior, que faz sua estréia na primeira divisão do Rio. Mas a zaga do Resende levava a melhor sobre os baixos atacantes alvinegros.  Botafogo 2 Castillo; Alessandro, Renato Silva    , Ferrero e Triguinho; Diguinho, Túlio, Zé Carlos (Adriano Felício) e Lúcio Flávio; Jorge Henrique e Wellington Paulista     (Marcelinho) Técnico: Cuca  Resende 0 Rodolpho; Valdir, Márcio Costa, Naílton e Fabiano    ; Fred (Roberto), Beto, Hiroshi     (Fábio) e Léo; Arangio (Jack Jones) e Rafael Técnico: Roy Gols: Zé Carlos, aos 9; e Wellington Paulista, aos 15 minutos do segundo tempoÁrbitro: Adriano Pereira MachadoRenda: R$ 228.987,00Público: 12.525 pagantesEstádio: João Havelange, RioTirante uma falta cobrada por Lúcio Flávio, o único lance real de perigo criado pelo Botafogo surgiria só aos 37 minutos, quando Wellington Paulista chutou colocado de fora da área. Caprichosamente, a bola tocou na trave direita de Rodolpho, rolou por sobre a linha fatal e bateu poste oposto antes de voltar para o goleiro. O domínio botafoguense prosseguiu inócuo até o fim do primeiro tempo. Precisando vencer, Cuca foi audacioso no retorno para a segunda etapa. Tirou o lateral-direito Alessandro e botou o atacante Fábio, segurando Triguinho como terceiro zagueiro e partindo para o 4-3-3. E a coragem acabou premiada em um lance de bola parada. Zé Carlos cobrou falta no canto do goleiro, que, mal colocado, não evitou o gol, aos nove minutos.Porteira aberta, o ato se repetiu seis minutos depois. Jorge Henrique deixou o zagueiro Naílton perdido com um drible e serviu Wellington, que não desperdiçou. Na comemoração, o atacante recebeu o cartão amarelo. De então até o fim, o Botafogo não teve qualquer trabalho em cozinhar a partida em banho maria, diante da total incapacidade do Resende em jogar futebol.

Tudo o que sabemos sobre:
Estadual do RioBotafogoResende

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.