Botafogo fica no empate por 1 a 1 com o CSA em Maceió

O empate do Botafogo, por 1 a 1, com o CSA, foi um castigo para o time carioca que dominou a partida, mas não teve competência para fazer os gols necessários à vitória, em sua estréia na Copa do Brasil, nesta quarta-feira à noite, em Maceió. Sem seus principais jogadores, dentre eles a estrela do grupo, o atacante Dodô, o time alvinegro até atuou bem, mas não soube aproveitar sua superioridade técnica. A equipe carioca começou a partida com apenas cinco titulares, o lateral-esquerdo Iran, o volante Joílson, o atacante Jorge Henrique, além dos zagueiros Asprilla e Juninho. Apesar de vários atletas reservas, foram eles os responsáveis pelas principais jogadas de ataque do Botafogo. E o destaque foi o meia Ricadinho. Até a final da primeira etapa, o Botafogo desperdiçou cinco oportunidades de gol e, aos 47 minutos, teve a incompetência castigada. O meia João Alves cobrou falta pela esquerda, o goleiro Lopes falhou e a bola sobrou para o atacante Cristiano cabecear e inaugurar o placar. No segundo tempo, o técnico alvinegro Cuca fez duas alterações no time e colocou em campo o meia Diguinho, além do zagueiro Igor, nos lugares de Flávio e Asprilla. As alterações surtiram o efeito desejado e, aos 8 minutos, o Alvinegro empatou com o atacante André Lima, que tabelou com Jorge Henrique e chutou rasteiro, sem defesa para o goleiro Alexandre. Mas, com o empate, o Botafogo não conseguiu manter o ritmo intenso da etapa inicial e, mesmo com a entrada do meia Zé Roberto no lugar de Jorge Henrique, o time passou a ceder espaços ao CSA. O time alagoano, limitado tecnicamente, só criou uma boa jogada aos 24 minutos, quando o zagueiro carioca Juninho foi obrigado a fazer um pênalti em Cristiano. Um minuto depois, o atacante cobrou e acertou a bola na trave. O Botafogo ainda teve a chance de passar à frente do placar, com Lúcio Flávio, mas o goleiro Alexandre mais uma vez se destacou e fez bela defesa, aso 34 minutos. A péssima notícia para os torcedores de ambos os clubes é que suas equipe podem ser prejudicadas e perderem mandos de campo, caso o árbitro Cláudio Mercante Júnior (PE) relate na súmula os incidentes ocorridos. Na primeira etapa, um picolé caseiro foi arremessado no gramado pela torcida do CSA. No segundo tempo, uma pessoa vestida com a camisa alvinegra invadiu o campo para festejar o gol de empate do Botafogo. Ficha técnica:CSA 1 x 1 Botafogo CSA - Alexandre; Fábio (Cristiano Fernandes), Luis Carlos (Neto), Júnior e Evaldo Bahia; Edmilson, Jean, Mateus e João Alves (Zé Carlos); Cristiano e Alexsandro. Técnico: Ênio Oliveira. Botafogo - Lopes; Flávio (Diguinho), Juninho, Asprilla (Igor) e Iran; Juca, Joílson, Ricardinho e Lúcio Flávio; André Lima e Jorge Henrique (Zé Roberto). Técnico: Cuca. Gols - Cristiano, aos 47 minutos do segundo tempo. André Lima, aos 8 minutos do segundo tempo. Juiz - Cláudio Luciano Mercante Júnior (PE). Cartão amarelo - Asprilla, Juca, Luís Carlos, Juninho, Cristiano Fernandes, Zé Carlos, Alexsandro e Lúcio Flávio. Renda - R$ 93.388,00. Público - 14.459 torcedores. Local - Estádio Rei Pelé, em Maceió (AL).

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.