Vitor Silva/Botafogo
Vitor Silva/Botafogo

Botafogo marca nos minutos finais e derrota o Resende pelo Carioca

Partida chegou a ser paralisada em razão da forte chuva que caiu no Rio de Janeiro

Redação, O Estado de S.Paulo

30 de janeiro de 2020 | 22h32

Em uma noite de muita chuva e gramado pesado, o Botafogo conseguiu a sua segunda vitória consecutiva no estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro, ao bater de virada o Resende por 2 a 1, nesta quinta-feira, pela quarta rodada da Taça Guanabara, o primeiro turno do Campeonato Carioca.

O Botafogo soma agora seis pontos no Grupo A, igual à Portuguesa e atrás dos líderes Boavista e Flamengo, com sete cada. Pode, portanto, sonhar com uma vaga nas semifinais. O Resende continua com apenas dois pontos no Grupo B, em quinto e penúltimo lugar, já sem chances de classificação.

O time da casa vinha de vitória sobre o Macaé por 3 a 1. Como era esperado, começou buscando o ataque, na base do toque de bola e tentando explorar a velocidade no seu esquema 4-3-3. Mas encontrou o Resende todo armado na defesa, no esquema 4-5-1, com o meio de campo fechado justamente para dificultar as ações botafoguenses.

Na beira do campo, o técnico Alberto Valentim gesticulava para que seus jogadores tivessem paciência e continuassem trocando passes, até encontrar uma chance de penetração ou de finalização. Aos 20 minutos começou a chover forte, um problema a mais para o Botafogo forçar a troca de passes.

Mas na primeira descida ao ataque, o Resende pegou a defesa da casa desatenta. Giovani recebeu na intermediária, ganhou na velocidade de Cícero e pedalou em cima de Joel Carli antes de chutar forte e no alto. Mesmo sendo canhoto, ele bateu bem com a perna direita. Resende na frente aos 25 minutos.

Quatro minutos depois, a partida teve que ser paralisada devido à forte chuva, acompanhada de vento e raios. Nesta altura, a drenagem ainda aguentava o volume de água, mas o estado do gramado já era ruim cinco minutos depois com muitas poças d´água. Todos deixaram o campo para se abrigar nos vestiários.

A bola só voltou a rolar 44 minutos depois, com o Resende determinado a segurar a vantagem mesmo se fosse preciso utilizar uma forte retranca e um futebol feio. Restou ao Botafogo insistir com os cruzamentos aéreos em direção à pequena área. Em um destes levantamentos, a torcida reclamou de um toque na mão do lateral-esquerdo Murilo Henrique, depois de um choque com Bruno Nazário. No intervalo, os torcedores vaiaram o time alvinegro.

Mas na volta do segundo tempo, os jogadores do Botafogo responderam com muita pressão no ataque. O empate saiu aos nove minutos, quando Fernando lançou Luiz Fernando pelo lado direito. Quase na linha de fundo ele cruzou para trás, Bruno Nazário dominou nas pernas e virou no canto direito do goleiro Ranule.

A virada quase saiu aos 18 minutos, quando Guilherme Santos avançou e fez o passe para Pedro Raul. O atacante surpreendeu ao bater de bico, exigindo grande defesa de Ranule, que espalmou para escanteio. Aos 34 minutos, dentro da área, Thiaguinho arriscou o chute cruzado, mas para fora.

A melhor chance, porém, esteve do lado do Resende aos 38 minutos. Caio Cézar recebeu de costas e virou no alto, mas o goleiro paraguaio Gatito Fernández espalmou por cima do travessão. Aos 44, Bruno Nazário entrou na área em velocidade e tentou o cruzamento, com a bola tocando na mão do volante Rezende. O pênalti foi marcado, apesar dos protestos dos visitantes. Na cobrança, aos 48, Pedro Raul bateu forte no canto esquerdo de Ranule, que caiu do outro lado.

Neste domingo, o Botafogo vai fazer o clássico contra o Vasco, de novo no estádio do Engenhão, a partir das 16 horas. O Resende, na segunda-feira, vai enfrentar o Flamengo, a partir das 20 horas, no estádio do Maracanã.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 2 x 1 RESENDE

BOTAFOGO - Gatito Fernández; Fernando (Barrandeguy), Marcelo Benevenuto, Joel Carli e Guilherme Santos; Cícero, Thiaguinho (Rafael Navarro), Bruno Nazário e Luiz Fernando; Pedro Raul e Luis Henrique (Rhuan). Técnico: Alberto Valentim.

RESENDE - Ranule; Dieguinho, Eduardo Grasson, Kevyn e Murilo Henrique; Rezende, Vitinho, Zizu (Rhayne) e Giovani (Wescley); Caio Cézar e Alef Manga (Thauan). Técnico: Edson Souza.

GOLS - Giovani, aos 25 minutos do primeiro tempo; Bruno Nazário, aos 9, e Pedro Raul (pênalti), aos 48 minutos do segundo tempo.

CARTÕES AMARELOS - Joel Carli (Botafogo); Alef Manga, Rezende e Eduardo Grasson (Resende).

ÁRBITRO - Grazianni Maciel Rocha.

RENDA E PÚBLICO - Não disponíveis.

LOCAL - Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.