Botafogo não quer estragar centenário

O Botafogo pode estragar neste domingo a comemoração de seu centenário com o retorno tão breve à Segunda Divisão do Campeonato Brasileiro de 2005. E para a festa não virar um velório a equipe alvinegra terá uma missão, no mínimo, desafiadora: derrotar o Atlético-PR, que ainda sonha com o título nacional, às 16 horas, na Arena da Baixada. Se empatar ou perder, o Alvinegro terá de torcer por resultados adversos de Vitória, Criciúma e Atlético-MG para se manter na divisão de elite do futebol brasileiro.Para um clube marcado pela superstição ao longo de sua história, não há como deixar passar em branco a inusitada situação que vive o técnico do Atlético-PR, Levir Culpi - figura com extrema importância em General Severiano. Um ano após o rebaixamento do Botafogo no Brasileiro de 2002, Levir Culpi assumiu o comando da equipe e contou com a confiança de todos para levar o Alvinegro de volta à Primeira Divisão.Neste domingo, porém, ele pode marcar de novo seu nome na história do clube carioca. Desta vez, de maneira negativa. Mesmo assim, não é incomum encontrar torcedores alvinegros que ´apostam´ numa colaboração do ex-treinador, que tem a admiração de boa parte dos botafoguenses.Superstição à parte, o técnico Paulo Bonamigo parece estar bem consciente do que o grupo precisa fazer para sair de campo com a vitória. Procurou passar confiança aos jogadores, que se mostraram mais otimistas para este jogo. O atacante Alex Alves, por exemplo, sonha ser o personagem principal da permanência do Botafogo na divisão de elite.Não promete gols. Em compensação, diz ele, determinação e raça não vão faltar no confronto deste domingo. "É o jogo mais importante de todos na temporada", declarou Alex Alves. O lateral-direito Ruy, que se recuperou de contusão, acha que este campeonato foi o mais difícil dos últimos anos. Mas não quer usar isso como uma desculpa para um eventual retorno à Série B. "O Botafogo não foi bem em 2004. Fomos eliminados muito cedo do Carioca e da Copa do Brasil, além de ter passado boa parte do Brasileiro na zona de descenso. Mas ainda podemos dar a volta por cima", disse Ruy, que considera o rebaixamento uma mancha na história de qualquer clube.A única dúvida de Bonamigo está no ataque. Ele ainda não sabe se vai optar por escalar Ricardinho ou Schwenck ao lado de Alex Alves. A tendência é a de que o primeiro inicie o jogo. Mas o mistério somente vai ser desvendado pelo treinador minutos antes de a equipe entrar em campo.O otimismo do elenco às vésperas da decisão contrastou com o início da semana, quando o clima era de baixo astral. Também não era para menos. Diante de sua torcida, que lotou o Caio Martins, o Botafogo perdeu para o Corinthians, por 2 a 1, e se viu mais próximo do descenso. A dispensa de 11 jogadores, camuflada com o discurso de férias antecipadas, abateu ainda mais os jogadores.A fisionomia dos atletas melhorou na quinta-feira, dia da viagem para Curitiba. A proximidade do confronto foi positiva para o grupo, que passou a acreditar numa possível reação. "Ainda tenho esperança", afirmou o volante Túlio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.