Jorge Saenz/AP
Jorge Saenz/AP

Botafogo perde do Cerro Porteño na Sul-Americana

Time leva 2 a 1 em Assunção e agora precisará vencer no Rio para conquistar a vaga nas semifinais

AE, Agencia Estado

22 de outubro de 2009 | 00h14

Em um jogo recheado de erros de arbitragem e lances polêmicos, o Botafogo foi derrotado por 2 a 1 pelo Cerro Porteño nesta quarta-feira, em Assunção, no Paraguai, na partida de ida das quartas de final da Copa Sul-Americana.    

 

Veja também

Sul-Americana 2009 - lista Tabela

especialDê seu palpite no Bolão Vip do Limão

Com o resultado, o time carioca precisará de uma vitória simples no jogo de volta para alcançar a semifinal da competição. Mas, antes, o Botafogo se concentra para o clássico com o Flamengo, no domingo, pelo Brasileirão. Com a vitória do Santo André sobre o Palmeiras, o time jogará pressionado para sair da zona de rebaixamento.

Nesta quarta, em solo paraguaio, o Botafogo passou a controlar o jogo aos poucos. Mas o domínio era inócuo. As melhores chances eram dos donos da casa, principalmente com as bolas alçadas na área. Aos 9 minutos, Nuñez chutou à queima roupa, obrigando Jefferson a fazer grande defesa.

Aos 20 minutos, o primeiro lance que custou ao Botafogo a partida. Fahel subiu de cabeça e mandou para as redes, mas o árbitro marcou equivocadamente uma falta do volante no goleiro.

A situação da equipe brasileira piorou aos 33 minutos. Nanni, em posição de impedimento, iniciou o lance que originaria o primeiro gol paraguaio. Villareal tocou de cabeça e Recalde chutou forte para não dar chance ao goleiro Jefferson.

No segundo tempo, o Botafogo alcançou o empate aos 12 minutos. Rodrigo Dantas, que acabara de entrar, tocou para Reinaldo. O atacante não dominou, a zaga rebateu, a bola tocou no braço de Reinaldo e ficou à feição para que finalizasse na saída de Barreto. Gol validado.

Poderia ser o início de uma reação, mas Léo Silva deixou seu time com um a menos um minuto depois. Em jogada perigosa, ele foi com o pé por cima, na dividida, e foi expulso.

O Cerro veio para cima e recuperou a vantagem em mais um lance controverso. Emerson se enroscou com o atacante paraguaio na área, aos 33, e o pênalti foi marcado. Emerson foi expulso. Nanni cobrou e marcou. Jefferson chegou a tocar na bola, mas não conseguiu evitar o gol.

Com dois homens a mais, os paraguaios tentaram o terceiro, mas esbarraram em Jefferson. Recalde ainda foi expulso nos acréscimos.

CERRO PORTEÑO 2 X 1 BOTAFOGO

Cerro Porteño - Barreto; Torren (Piris), Herner, Cardozo e Irrazabel; Brítez, Villareal (Júlio dos Santos), Cáceres e Recalde; Nuñez (Ramírez) e Nanni. Técnico: Pedro Troglio

Botafogo - Jefferson; Emerson, Juninho e Wellington; Thiaguinho (Diego), Fahel, Léo Silva, Gabriel (Rodrigo Dantas) e Renato (Leandro Guerreiro); Reinaldo e Victor Simões. Técnico: Estevam Soares

Gols - Recalde, aos 33 minutos do primeiro tempo. Reinaldo, aos 12, e Nanni, aos 36 minutos do segundo tempo

Cartões amarelos - Villareal, Ramírez (Cerro Porteño); Jefferson, Fahel, Victor Simões, Leandro Guerreiro (Botafogo)

Cartões vermelhos - Recalde (Cerro Porteño); Léo Silva, Emerson (Botafogo)

Árbitro - Sergio Pezzotta (ARG)

Renda e público - Não disponíveis

Local - Estádio General Pablo Rojas, em Assunção (PAR)

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.