Bruno Oliveira/ Fortaleza EC
Bruno Oliveira/ Fortaleza EC

Botafogo perde para o Fortaleza e completa oito rodadas sem vencer no Brasileiro

Equipe alvinegra permanece na vice-lanterna da competição; Fortaleza alcança o 11.º lugar

Redação, Estadão Conteúdo

22 de novembro de 2020 | 20h26

O Botafogo segue em péssima fase no Campeonato Brasileiro. Neste domingo, perdeu para o Fortaleza, por 2 a 1, no estádio Engenhão, no Rio, pela 22.ª rodada. Agora são oito jogos sem vencer, com três empates e cinco derrotas, apenas 20 pontos e a penúltima posição. O último triunfo aconteceu na 15.ª rodada, quando bateu o Sport por 2 a 1 e as perspectivas não são anda animadoras.

O Fortaleza comemorou a primeira vitória sob o comando de Marcelo Chamusca, que substituiu Rogério Ceni, agora no Flamengo. Com 28 pontos, o time cearense é o 11.º colocado e espera se distanciar ainda mais da zona da ameaça de queda.

Ainda sem o badalado Ramón Diaz, o Botafogo segue comandando pelo filho do argentino, Emiliano Diaz. Ele armou o time no esquema tático 4-5-1, mas dando liberdade para os meias Honda e Bruno Nazário chegaram no ataque para auxiliarem o grandalhão Matheus Babi, de 1,91m.

A primeira chance saiu dos pés de Honda cobrando falta na frente da área. Aproveitando o gramado escorregadio, ele chutou com efeito, a bola quicou na frente do goleiro Felipe Alves que saltou e mandou a bola para escanteio aos 10 minutos.

O Fortaleza se reforçou na marcação, mas Chamusca montou o esquema 4-4-2 para também pressionar a saída de bola carioca. Criou sua primeira chance aos 12 minutos, quando Wellington Paulista deu toque de calcanhar para Tinga, que ligou Romarinho. Ele bateu mal na bola, que saiu fraca e acabou aliviada pela defesa. Perdeu uma boa chance.

Mas depois disso, o jogo esfriou. Só aos 44 minutos é que o Botafogo quase abriu o placar, após troca de passes pelo lado esquerdo entre Kalou e Caio Alexandre, que dentro da área bateu de virada e quase surpreendeu Felipe Alves. O goleiro saltou e mandou a bola para escanteio.

O Botafogo voltou para o segundo tempo com Marcinho no lugar de Kevin, após longa inatividade por contusão. Até deu impressão de que o time tinha mais volume e poderia mudar o panorama do jogo. Mas, aos poucos, o bem organizado Fortaleza passou a explorar os contra-ataques.

Aos 11 minutos, David enfileirou adversários, entrou na área e só foi parado pelo bloqueio de Diego Cavalieri. Numa penetração parecida, saiu o gol cearense. Desta vez quem entrou driblando todo mundo foi Romarinho que na frente de Cavalieri tentou dar a cavadinha. Bergson, que tinha acabado de entrar, chegou em velocidade e chutou para as redes aos 15 minutos.

Mais uma vez, o gol abalou os jogadores botafoguenses. Tanto que o Fortaleza passou a dominar o jogo e criar mais chances para ampliar, ao contrário do time carioca que não chegava mais com perigo lá na frente. Além disso, continua com sua defesa totalmente exposta.

O Fortaleza ampliou aos 33, em uma enfiada de bola de Osvaldo para David no meio da defesa. O atacante entrou na área e bateu rasteiro na saída do goleiro Cavalieri. Dois minutos depois, porém, o Botafogo diminuiu. Warley pegou a bola na frente da área, deu uma finta de corpo no marcador e chutou cruzado, no canto esquerdo de Felipe Alves.

Nos últimos minutos, mesmo desorganizado, o Botafogo foi para o tudo ou nada. Mas mostrou as mesmas falhas de sempre: erros de passes, falta de um padrão tático e ainda sem comando no banco de reservas.

No meio de semana os dois times voltam campo pelo Brasileirão. Na quarta-feira, às 21h30, o Botafogo vai estar no Mineirão para medir forças com o líder Atlético Mineiro. Na quinta-feira, o Fortaleza recebe o lanterna Goiás no Castelão, a partir das 20 horas.

FICHA TÉCNICA

BOTAFOGO 1 X 2 FORTALEZA

BOTAFOGO - Diego Cavalieri; Kevin (Marcinho), Marcelo Benevenuto, Kanu e Victor Luis; José Welisson, Caio Alexandre (Warley), Honda (Éber Bessa), Bruno Nazário e Kalou; Matheus Babi (Pedro Raul). Técnico: Emiliano Diaz (auxiliar).

FORTALEZA - Felipe Alves; Tinga, Jackson, Wanderson (Ronald) e Bruno Melo; Felipe (Carlinhos), Juninho, Marlon (Yuri César) e Romarinho (Osvaldo); David e Wellington Paulista (Bergson). Técnico: Marcelo Chamusca.

GOLS - Bergson aos 15, David, aos 33, e Warley, aos 35 minutos do segundo tempo.

ÁRBITRO - Héber Roberto Lopes (SC).

CARTÕES AMARELOS - Kanu (Botafogo); David (Fortaleza).

RENDA E PÚBLICO - Portões fechados.

LOCAL - Engenhão, no Rio (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.