Botafogo promete chutar de longe

Chutar de média e longa distância é a nova tática do Botafogo para tentar vencer o São Paulo, por no mínimo três gols de diferença e decidir nos pênaltis o título do Torneio Rio-São Paulo, quarta-feira, no Morumbi. O meias Reidner e Rodrigo são os jogadores designados pelo treinador para esta função. Para Rodrigo, que marcou da intermediária paulista o único gol alvinegro, na derrota por 4 a 1, no Maracanã, os chutes de longa distância podem ser uma arma para que o clube consiga o placar necessário nesta partida. O jogador frisou ainda que o Botafogo não vai entrar derrotado em campo e prometeu surpreender o Tricolor. "Se fôssemos entrar pensando em perder era melhor nem jogar. Temos vários exemplos de clubes que passaram por esta situação e se superaram." Reidner acredita que se o Botafogo manter a calma e não der espaços para os contra-ataques do São Paulo terá dado o primeiro passo rumo à vitória. Segundo o jogador, o goleiro Roger já demonstrou deficiência em chutes de longa distância e, por isso, esta é uma falha a ser explorada. Além de exigir que o time arrisque chutes de fora da área, para surpreender o goleiro Roger, Lazaroni mudou o posicionamento dos atacantes alvinegros. O meia Alexandre Gaúcho, que atua no lugar de Souza, terá a função tática de um terceiro atacante, apesar de o técnico não admitir. A dupla de ataque formada por Donizete e Taílson vai se movimentar mais e explorar as laterais do campo, abrindo espaço para Gaúcho.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.