Botafogo protesta contra a arbitragem

Em um ato que tem por objetivo provocar a reflexão sobre o futuro da arbitragem no Brasil, o presidente do Botafogo, Bebeto de Freitas, divulgou uma carta, nesta sexta-feira, em que cobrou providências para o setor, mas reconheceu que a desunião dos clubes brasileiros tem contribuído para a atual situação caótica do futebol brasileiro. E, em resposta à pretensão do Santos de tentar anular a partida arbitrada por Heber Roberto Lopes (Fifa-PR), que terminou empatada em 3 a 3, o dirigente mandou um recado: ?se tentarem isso, entro na Justiça para anular outras cinco partidas em que fomos prejudicados?. Ao redigir o documento, o presidente do Botafogo explicou que sua intenção foi a de aproveitar o momento para que mudanças sejam realizadas na arbitragem. Seu desejo é o de profissionalizar os árbitros, além de torná-los independentes da Comissão Nacional de Arbitragem, hoje vinculada à Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Freitas ainda explicou que o assunto será abordado na próxima reunião do Clube dos 13, ainda não marcada, mas prevista para ocorrer até o final do mês, em São Paulo. Na realidade, o movimento pregado pelo presidente do Botafogo, profissionalização e emancipação dos árbitros, já começou e não é novo. Em outras oportunidades, quando a atuação dos juízes foi questionada, a polêmica sobre a profissionalização dos árbitros chegou a ser discutida. Mas, ao ser indagado quanto a desunião dos clubes, que não conseguem se mobilizar para promoverem as mudanças, o presidente do Botafogo foi cético. ?União dos clubes brasileiros é a mesma coisa que a equiparação do cruzeiro (antiga moeda brasileira) com o dólar. O dia em que acontecer isso, estaremos redescobrindo a pólvora?, destacou o presidente do Botafogo. ?Justamente pelos fato de os clubes não serem unidos e só se preocuparem em arrebentar uns com os outros é que não se chega a nada?. Apesar da descrença nos clubes co-irmãos, o presidente do Botafogo frisou que é preciso fazer algo e ter a esperança na realização das mudanças na arbitragem. Já em relação ao Santos, que ameaçou pedir a anulação da vitória do time carioca, por causa da denúncia de que o árbitro paranaense poderia ter manipulado o resultado, Freitas afirmou que também tem queixas e gostaria de cancelar partidas. Mas, disse entender não ser esta a melhor solução e endureceu o discurso ameaçando a equipe paulista. ?Se o Santos fizer isso, peço anulação das duas partidas contra o Vasco, das duas contra o Fluminense e uma do Palmeiras?, protestou o dirigente. As queixas do Botafogo em relação a esses jogos são desde gols legítimos anulados até a não marcação, por exemplo, de dois pênaltis a seu favor no confronto contra o Palmeiras.

Agencia Estado,

21 de outubro de 2005 | 17h38

Encontrou algum erro? Entre em contato

Tendências:

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.