Botafogo quer a liderança da Série B

Vencer para conquistar a liderança da Série B do Campeonato Brasileiro e, conseqüentemente, ficar cada vez mais próximo de concretizar o sonho de retornar, em 2004, à elite do futebol brasileiro. É com esse pensamento que o Botafogo enfrenta amanhã o Marília, às 20h30, no Estádio Eduardo José Farah, o Farazão, em Presidente Prudente, pela 2ª rodada do quadrangular final da competição. O time paulista não jogará em casa porque o Superior Tribunal de Justiça Desportiva (STJD) o puniu com a perda de um mando de campo, por causa de incidentes na partida anterior, contra o próprio Botafogo. O técnico Levir Culpi já adiantou que vai esperar até minutos antes da partida para anunciar a escalação do time titular. Isso tudo porque o treinador tem duas dúvidas: ele não sabe se poderá contar com o meia Valdo, de 39 anos, que se recupera de uma fratura no antebraço esquerdo e ficou no banco de reservas no empate por 1 a 1 com o Palmeiras, sábado, no Caio Martins. Além disso, o lateral-direito Márcio Gomes, suspenso pelo terceiro cartão amarelo, também desfalcará o time. Ao que tudo indica, caso Valdo seja realmente vetado, o atacante Dill será mantido no ataque. Para a vaga de Márcio Gomes, a tendência é que o treinador escale Jorginho Paulista em seu lugar e Daniel na lateral-esquerda. A outra opção, menos viável, é a entrada do lateral-direito Elizeu, que pouco atuou sob o comando de Culpi. O treino-apronto de hoje foi cancelado a pedido do técnico Levir Culpi. Ele quis que a equipe fizesse apenas treinamento físico (musculação) para não haver risco de contusão. Para ele, os atletas já assimilaram o que se deve fazer em campo e por isso não há necessidade de os expor em um coletivo. Semana passada, Valdo se machucou após um choque casual no treino de sexta-feira, véspera do jogo contra o Palmeiras. Os jogadores do Botafogo são unânimes em dizer que o desfalque do meia Valdo é prejudicial à equipe, principalmente pela sua experiência nessa reta final da competição. ?O Valdo é decisivo e tem a liderança do grupo. Faz muita falta, mas temos que saber jogar sem ele?, disse o zagueiro Sandro. O meia Almir, destaque da equipe, também não escondeu sua admiração pelo atleta. ?Ele tem um ótimo passe. Além disso, sempre treinou com a equipe e está entrosado. Isso atrapalha um pouco?, reconhece. Culpi sabe da importância do veterano jogador, mas não quer ficar se lamentando. ?A penúltima palavra será dos médicos e a última, dele. Se não pudermos contar com ele, o atleta que entrar tem de corresponder?, disse. Quem tem motivo para sorrir é Dill. Perseguido pela torcida, o atacante, que marcou o único gol do Botafogo no empate com o Palmeiras, admite que voltou a jogar com confiança e quer a vaga de titular. ?Esse gol me deixou animado e seria demagogo se dissesse que não estou esperando recuperar a vaga. Espero ser decisivo nos momentos decisivos?, disse o jogador, que não esquece do apoio que recebe constantemente do meia Valdo. ?Ele me disse que Deus escreve certo por linhas tortas. É um grande amigo e vai se recuperar para ajudar o Botafogo a voltar para a Série A do Brasileirão?.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.