Marcos de Paula/AE
Marcos de Paula/AE

Botafogo reage e arranca empate com o Vasco no fim

Loco Abreu bate o pênalti que garantiu o 2 a 2; resultado pode tirar time botafoguense do G-4

SÍLVIO BARSETTI, Agência Estado

23 de setembro de 2010 | 00h06

A sina do Vasco de rei do empate no Campeonato Brasileiro se manteve na noite desta quarta-feira. Com a vitória praticamente assegurada sobre o Botafogo, no Engenhão, o time vascaíno viu o adversário arrancar o empate por 2 a 2 aos 47 minutos do segundo tempo, num pênalti infantil cometido por Titi e bem cobrado por Loco Abreu.

Veja também:

Brasileirão - tabela Classificação / lista Tabela

link CBF acionará Conmebol para reaver vaga na Copa Libertadores

Apesar de não vencer há três jogos, a igualdade conquistada no clássico mantém o Botafogo entre os primeiros colocados, agora com 39 pontos, mas a equipe ainda pode perder o quarto lugar até o fim da 24.ª rodada. O Vasco está pior, sem ganhar há cinco partidas, e soma 30 pontos, na parte de baixo da tabela.

No clássico do Engenhão, o time vascaíno foi sempre superior, se mostrando mais organizado e impetuoso. Logo no primeiro tempo, a vitória vascaína parecia desenhada com os gols de Ramon e Éder Luís e outros lances de perigo. Em sua maioria, eles eram criados pelo mesmo Éder Luís, autor do segundo gol vascaíno e destaque do time.

Ramon abriu o placar após um erro de arbitragem. O zagueiro Antônio Carlos sofreu falta, não marcada, de Zé Roberto no meio de campo. Na sequência, o lateral-esquerdo do Vasco chutou cruzado, a bola desviou em Danny Morais e entrou. A equipe cruzmaltina seguia mais veloz e ousada que o Botafogo e continuava pressionando o adversário.

Aos 36 minutos, Éder Luís driblou Alessandro com estilo e chutou forte para fazer 2 a 0. Pouco antes, o Botafogo perdeu um de seus principais jogadores: Maicosuel deixou o campo contundido e foi substituído por Herrera.

E foi do argentino o primeiro gol botafoguense, de cabeça, no início do segundo tempo. Mas Herrera, sempre muito nervoso e reclamando da arbitragem com exageros, recebeu cartão amarelo e, depois, numa falta violenta em Zé Roberto, acabou expulso, ainda aos 18 da etapa complementar.

No final, quando o Vasco dava a impressão de que tinha o jogo sob controle, Titi cortou um cruzamento com o braço. Pênalti convertido por Loco Abreu, para alívio dos botafoguenses e do técnico Joel Santana. Foi o 12.º empate do Vasco no Brasileirão.

Pela próxima rodada, o Botafogo volta a campo no domingo, quando joga novamente no Engenhão, contra o Atlético-PR, às 16 horas. Já o Vasco atua ainda no sábado, às 18h30, diante do Guarani, em Campinas.

VASCO - 2 - Fernando Prass; Fagner, Dedé, Titi e Ramon; Nilton, Rafael Carioca, Felipe Bastos e Zé Roberto (Felipe); Éder Luís (Nunes) e Rafael Coelho (Carlos Alberto). Técnico: Paulo César Gusmão.

BOTAFOGO - 2 - Jefferson; Antônio Carlos (Caio), Fábio Ferreira e Danny Morais; Alessandro, Fahel, Leandro Guerreiro, Maicosuel (Herrera) e Somália; Renato Cajá (Edno) e Loco Abreu. Técnico: Joel Santana.

Gols - Ramon, aos 13, e Éder Luís, aos 36 minutos do primeiro tempo; Herrera, aos nove, e Loco Abreu (de pênalti), aos 47 minutos do segundo tempo; Cartões amarelos - Ramon, Nunes, Felipe Bastos e Zé Roberto (Vasco); Alessandro, Loco Abreu e Danny Morais (Botafogo); Cartão vermelho - Herrera (Botafogo); Árbitro - Felipe Gomes da Silva (RJ); Renda - R$ 347.545,00; Público - 14.248 pagantes (16.736 no total); Local - Estádio do Engenhão, no Rio de Janeiro (RJ).

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.