Botafogo-SP ameaça ir à Justiça

O Botafogo de Ribeirão Preto ainda se considera um dos 16 participantes da Liga Rio-São Paulo de 2002, pois até as 18 horas de ontem o Vasco não havia se manifestado oficialmente sobre a sua participação. Porém, além disso, o advogado Paulo Henrique Marques de Oliveira entrou com um requerimento na Liga para solicitar as atas, entender todo o caso e resguardar os direitos do clube ribeirão-pretano. "Deveremos ir, com o Botafogo, até as últimas conseqüências, se for preciso", avisa Oliveira. Ou seja: o clube poderá entrar com ação na Justiça Desportiva ou o advogado, representando uma sociedade civil, entrará com ação na Justiça Comum. O presidente do Botafogo, Luiz Carlos Bianchi, empossado na noite de ontem, disse que aguardará os acontecimentos, mas que considera o clube no Rio-São Paulo. Ele acredita que não cabe uma ação na Justiça Desportiva, mas, para avaliar melhor a situação e definir os rumos futuros, o Conselho Deliberativo do clube irá reunir-se na noite de quinta-feira. Contratações, por enquanto, nem pensar. "Vai depender da competição que participaremos", diz Bianchi, anunciando que já contatou três treinadores. Mas a contratação dependerá dos desdobramentos da Liga Rio-São Paulo. Para o advogado Oliveira, que poderá entrar com ação em nome do deputado federal Valdemar Corauci Sobrinho (PFL), conselheiro do clube, ou de outra entidade, formalmente o Botafogo está na Liga. "A sua saída não foi deliberada em assembléia, o que poderá até ocorrer no futuro, mas, por enquanto, ele está dentro", explica ele. Oliveira comenta que o Botafogo tem 2,5% das cotas de sociedade da Liga Rio-São Paulo de Futebol Ltda., enquanto o São Caetano não é sócio. Porém, o time do ABC poderia ser convidado. O que não está claro, segundo o advogado, é se um dos sócios poderia ficar de fora da primeira edição do novo torneio.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.