Botafogo-SP se revolta contra a CBF

A diretoria e os jogadores do Botafogo estão revoltados com a Confederação Brasileira de Futebol (CBF). Tudo por causa da não inclusão da equipe na Copa do Brasil deste ano. A entidade divulgou na terça-feira a lista com os 64 times que irão disputar a competição, entre eles os paulistas Guarani, Ponte Preta, Portuguesa, Corinthians, São Paulo e Santos. Os dirigentes do clube de Ribeirão Preto não entendem o fato de sequer terem recebido uma explicação sobre o motivo desta exclusão. "Nós disputamos o campeonato no ano passado e esperávamos a inclusão este ano. Com o que aconteceu, ficou claro que a CBF não tem critério para dizer quem joga a Copa do Brasil", afirma o presidente Ricardo Ribeiro. A decepção e revolta é visível entre todos no clube e na comissão técnica. O motivo para querer disputar a Copa do Brasil, além da possibilidade de chegar à Copa Libertadores da América, é pela visibilidade e o retorno financeiro que a competição poderia trazer para o Botafogo. "Mas agora já foi. Espero que a CBF reveja a sua maneira de agir. E não se fala mais nisso", pede o presidente. Assim, todos no clube prometem que só vão pensar no Campeonato Paulista, a única competição que o time está disputando. Para sair da oitava posição, o Botafogo quer vencer o Santos e encostar de vez nos líderes, que brigam por uma vaga nas semifinais da competição. Atualmente, o tricolor tem 12 pontos e está há apenas três de São Caetano e Rio Branco, que estão na primeira colocação. O técnico Lori Sandri comandou nesta quarta-feira um coletivo no final da tarde no estádio Santa Cruz e na quinta apenas faz treinos físicos e técnicos com os jogadores. O time para enfrentar o Santos só será definido após o coletivo marcado para sexta à tarde.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.