Botafogo: superstição para vencer a Taça Rio

Equipe volta a se concentrar na Granja Comary para a decisão da Taça Rio diante do Fluminense

Redação,

17 de abril de 2008 | 19h40

Embora a tradição do clube diga o contrário, o Botafogo garante que não é por simples superstição seu retorno à Granja Comary, em Teresópolis, antes da final da Taça Rio, domingo, contra o Fluminense, no Maracanã. Vale lembrar que a equipe alvinegra subiu a serra três dias antes da semifinal contra o Flamengo e deu certo: 3 a 0. "Não estamos indo à Granja simplesmente porque deu certo na semana passada. Temos uma final no domingo e precisamos estar concentrados. Não há conquista nenhuma na vida que não tenha sacrifício", declarou o técnico Cuca, ressaltando as ótimos condições do local para treinar e descansar. "O Botafogo terá a tranqüilidade necessária para trabalhar." Capitão do time, o meia Lúcio Flávio ficou no banco de reservas no empate por 1 a 1 com a Portuguesa, no meio de semana. Mas não existe a menor chance dele ser poupado no jogo de domingo. O jogador do Botafogo é a favor de concentração. "Quem está no futebol sabe que é assim e tem que passar por isso. Para ter o privilégio de disputar decisões é necessário sacrificar um pouco o convívio com a família e outras coisas", explicou. "Esse é o momento que esperamos desde o início da temporada. Lá no início pensávamos nesses jogos decisivos. Agora que chegou, a ansiedade toma conta".

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.