Botafogo usa tecnologia para melhorar desempenho

Para auxiliar o fisiologista Altamiro Bottino, a diretoria do Botafogo elegeu a tecnologia. Os equipamentos da empresa Tempo Real foram trazidos para ajudar a comissão técnica a colher dados para ajudar na preparação do elenco comandado por Joel Santana. Neste sábado, após treinos divididos em dois períodos, os jogadores passaram por avaliações físicas e realizaram seções de musculação e de treino físico no campo do Centro de Treinamento João Saldanha.

AE, Agência Estado

19 de junho de 2010 | 20h25

"Na musculação usamos o Optojump, um sensor infravermelho que nos ajuda a medir impulsão, agilidade e índice de fadiga. Sabemos a forma como cada um salta, uma informação que pode ser usada para correções ou para a comissão técnica explorar até durante os jogos", disse Bottino.

Ainda, segundo o membro da comissão técnica do Botafogo, a precisão é fundamental. "No campo colocamos sensores de velocidade, pardais mesmo. São tiros de 40 metros, há um sensor até os 10 metros e outro até o fim do percurso. Assim, sabemos quem larga rápido, quem mantém o ritmo e quem o aumenta", explicou.

Com essa opção, é possível coordenar o ritmo das atividade individualmente - com trabalhos específicos, se necessário - e analisar a característica de cada jogador, o que de melhor pode ser retirado dele. Estas atividades vão nortear a comissão técnica para o restante do ano, começando pela intertemporada que será realizada a partir de segunda-feira, na Granja Comary, em Teresópolis, no Rio de Janeiro.

Por este motivo, a dedicação dos atletas se faz fundamental. "E eles têm acompanhado bem o ritmo. Pelo tempo de descanso, era previsto ter uma ou outra baixa, mas não tivemos nenhuma", comentou o fisiologista do Botafogo.

Tudo o que sabemos sobre:
futebolBotafogotreinos

Encontrou algum erro? Entre em contato

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.