Rafael Ribeiro/Vasco
Rafael Ribeiro/Vasco

Perfil diferente de reforços marcam campanhas distintas de Botafogo e Vasco na Série B

Líder da competição, a equipe de General Severiano apostou em nomes pouco conhecidos dos torcedores; time de São Januário, que jogará a segunda divisão em 2022, confiou em jogadores mais rodados

Pedro Ramos, O Estado de S.Paulo

09 de novembro de 2021 | 20h00

Quando o Botafogo aplicou uma goleada de 4 a 0 sobre o Vasco, no último domingo, em São Januário, pela 34ª rodada da Série B, o resultado deixou claro não só a distância entre os times na tabela, mas a diferença de perfil e desempenho das contratações dos rivais cariocas neste ano. De um lado, o time de General Severiano, que lidera a competição e está muito próximo do retorno à Série A, apostou em jogadores menos conhecidos entre os torcedores, a equipe de São Januário confiou em nomes mais rodados, além de muitos atletas da base, e jogará a segunda divisão em 2022.

No início do ano, tanto Botafogo como Vasco ficaram fora das semifinais do Campeonato Carioca e o desempenho de ambos preocuparam seus torcedores. Após o Estadual, a diretoria alvinegra fechou um acordo com o Footure, empresa de scout e análise de mercado, e foi atrás de mais reforços.  

O volante Luis Oyama, de 24 anos, emprestado do Mirassol, deu a assistência para o segundo gol do time no clássico e é um dos destaques do Botafogo no ano. O clube do interior paulista também emprestou o lateral-direito Daniel Borges e o atacante Diego Gonçalves, que anotou o quarto gol do jogo e já marcou sete vezes na Série B. Além da dupla, a diretoria alvinegra foi atrás dos meias Marco Antonio, emprestado pelo Bahia e um dos nomes do time na temporada, e Chay, uma das surpresas do Campeonato Carioca, vestindo a camisa da Portuguesa. O jogador, que já anotou 10 gols no ano, já até ganhou música dos torcedores.

O técnico Enderson Moreira, principal responsável pela melhora do Botafogo em campo, elogiou o trabalho do diretor de futebol, Eduardo Freeland, e os jogadores após a goleada no clássico. "O Freeland foi muito feliz pela montagem do elenco, pela qualidade, mas pelo perfil de caráter, de trabalho. Saímos de 14º lugar e conseguimos reverter isso. É tudo muito especial para todos, para mim. Prazer enorme participar disso. Esse grupo merece muito".

Do outro lado da rivalidade, o Vasco fará duas campanhas seguidas na Série B pela primeira vez em sua história. Com a quarta defesa mais vazada da competição, a equipe está na 9ª colocação, não esteve em nenhuma rodada no G4 da Série B e foi comandada por três técnicos diferentes.

O planejamento da equipe, capitaneado pelo diretor Alexandre Pássaro, ex-São Paulo, mostrou falhas na montagem do elenco. O discurso de profissionalização e reestruturação do futebol do clube animou a torcida. De cara, a saída de jogadores contestados e a aposta em nomes rodados do futebol brasileiro em comparação ao rival foram pontos elogiados por torcedores. 

O mau início do Vasco na Série B não desanimou o dirigente. Em julho, Pássaro defendeu o elenco de críticas e minimizou a necessidade de reforços. "Continuo achando, e muitos também acham que temos um bom elenco. Isso não foi discussão até a primeira derrota, é normal questionar. Disse e repito internamente que não vejo soluções assim, como o Vasco não vê há tantos anos fazendo e refazendo times", analisou. 

Mas as temporadas do goleiro Vanderlei, do lateral Zeca, do zagueiro Ernando, dos volantes Romulo e Michel, do meia Marquinhos Gabriel e dos atacantes Léo Jabá e Morato foram abaixo do esperado. Dos reforços para a temporada, apenas Nenê, que chegou na reta final da competição, goza de prestígio com o torcedor cruzmaltino.

O meia de 40 anos chorou em entrevista após o clássico e lamentou a situação do clube. "Não vou baixar a cabeça. Sei que dei tudo de mim e vou continuar dando até o último segundo. Vou ficar até o Vasco subir, igual da primeira vez".

Com 62 pontos, o líder Botafogo visita a Ponte Preta, nesta quinta-feira, 11, no Moisés Lucarelli, às 19h30, e está muito perto do acesso. O Vasco recebe o Vitória, nesta quarta, às 21h30, em São Januário, já sem chances de voltar à Série A.

Encontrou algum erro? Entre em contato

Comentários

Os comentários são exclusivos para assinantes do Estadão.

O Estadão deixou de dar suporte ao Internet Explorer 9 ou anterior. Clique aqui e saiba mais.